Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Álvares Cabral a caminho do Golfo da Guiné com 50 fuzileiros a bordo

D.R.

Navio da Armada vai, durante dois meses, ganhar capacidade de resposta a crises onde se torne necessária a retirada de cidadãos não combatentes ou o resgaste de civis no âmbito do apoio humanitário em caso de acidente ou catástrofe

Mais de 50 fuzileiros vão participar, a bordo da fragata Ávares Cabral, numa missão na região do Golfo da Guiné com a duração de dois meses e que partiu da Base Naval de Lisboa, anunciou esta terça-feira a Marinha.

Segundo a Marinha, a fragata largou na segunda-feira e a missão integra-se "no contributo de Portugal para o esforço internacional de capacitação dos países do Golfo da Guiné em matéria de segurança marítima e combate às atividades ilícitas no mar".

Durante esta missão, será testado em simultâneo um novo modelo de emprego operacional, com o embarque de uma força de 50 fuzileiros, permitindo à Marinha ganhar capacidade de resposta a crises onde se torne necessária a retirada de cidadãos não combatentes ou o resgaste de civis no âmbito do apoio humanitário em caso de acidente ou catástrofe.

Durante a permanência no Golfo da Guiné, a fragata Álvares Cabral irá participar numa iniciativa promovida pelo United States Naval Forces Africa, o OBANGAME EXPRESS, exercício que visa reforçar a cooperação entre as marinhas dos países da África Ocidental e países amigos em matéria de segurança marítima.

O navio da Marinha portuguesa irá igualmente apoiar em Cabo Verde e São Tomé e Príncipe os projetos em curso de cooperação técnico-militar, onde fará ações de vigilância e patrulha conjuntas nas águas de jurisdição daqueles países, no âmbito dos acordos estabelecidos entre estados.

A fragata Álvares Cabral é comandada pelo capitão-de-fragata Gonçalves Simões, efetua esta missão com uma guarnição de 135 militares, tem embarcada uma equipa do pelotão de abordagem dos fuzileiros, uma equipa de mergulhadores e uma equipa médica.

Embarcaram igualmente três oficiais oriundos da Alemanha, Brasil e Espanha, no âmbito das relações bilaterais entre Marinhas.