Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo chama Teodora Cardoso

João Relvas/ Lusa

PR organiza conferência na Gulbenkian para puxar o investimento para o topo da agenda. Teodora foi convidada

De convidado para conferências, Marcelo Rebelo de Sousa passou a organizador. Objetivo: ajudar a colocar a aposta no investimento no topo da agenda do país. Preocupado com o estado da economia, focado na urgência de pôr o país a crescer e convicto de que o investimento é uma prioridade absoluta, o Presidente da República decidiu promover uma conferência sobre “O investimento em Portugal”, numa “organização da Fundação Gulbenkian por iniciativa do Presidente da República”. É na quarta-feira. António Costa fala na abertura e Marcelo no encerramento.

Da extensa lista de convidados consta a presidente do Conselho de Finanças Públicas, Teodora Cardoso, que Marcelo Rebelo de Sousa decidiu chamar ao debate depois das críticas que lhe foram dirigidas, quer pelo Governo, que não gostou de a ouvir dizer que o défice deste ano era fruto de um milagre, quer pelo próprio Presidente, que ironizou que milagres só os de Fátima. Teodora irá participar no primeiro painel da conferência, sobre “O investimento e a sua importância, a poupança”, ao lado de Isabel Horta Correia, do Banco de Portugal, e José Félix Ribeiro, economista. A moderação é de Miguel Cadilhe.

“Investir em Portugal, o que está bem e o que está mal” é o tema do segundo painel, que será moderado pelo advogado António Lobo Xavier e que contará com a presença de Carlos Ribas, representante da Bosch em Portugal, Sandra Santos, CEO da BA Glass, e Manuel Carlos, diretor-geral da APICCAPS. Segue-se uma intervenção de Guillermo de la Dehesa, presidente do Centre for Economic Policy Rersearch sobre Investimento e Crescimento. E um novo painel sobre “Políticas em prol do investimento empresarial” para que foram convidados Fernando Alexandre, pró-reitor da Universidade do Minho, Carlos Tavares, da Caixa Geral de Depósitos, e Ricardo Reis, professor na London School of Economics.

Carlos Moedas, comissário em Bruxelas, irá falar, em diálogo com o ministro da Ciência, Manuel Heitor, da relação entre a Ciência, a Inovação, o Investimento e a Produtividade. E a fechar o dia falarão Pedro Pita Barros, professor na Universidade Nova e comissário da conferência, Artur Santos Silva e Marcelo Rebelo de Sousa. No site da Gulbenkian, Pita Barros explica qual é o desafio central do debate: “Compreender que instrumentos são mais apropriados para um padrão de investimento privado que gere crescimento da produtividade, dos salários e do nível de vida da população portuguesa”. Como pano de fundo está a certeza de que “o investimento das empresas privadas é fulcral para o crescimento da produtividade, única forma de conseguir elevar de forma duradoura no tempo os níveis de vida”.