Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo: já existe UE a várias velocidades e Portugal “está na primeira linha”

MANUEL DE ALMEIDA / Lusa

Segundo o chefe de Estado, “Portugal, e bem, está sempre na primeira linha, porque está no euro, defende posições e políticas comuns em matéria de refugiados e de migrações, defende maior integração política na União Europeia e entende que é fundamental reforçar os laços entre a União Europeia e a NATO”

O Presidente da República diz que a ideia de uma União Europeia (UE) a várias velocidades "não tem novidade nenhuma", porque essa já é a realidade, e que importa é que Portugal "está sempre na primeira linha".

"Já existe uma Europa a várias velocidades e nós, felizmente, pertencemos à primeira velocidade, no euro. Há quem não pertença ao euro, há quem não pertença a outras cooperações reforçadas", declarou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, esta quarta-feira. "Já existe, não tem novidade nenhuma", reforçou.

Segundo o chefe de Estado, "Portugal, e bem, está sempre na primeira linha, porque está no euro, defende posições e políticas comuns em matéria de refugiados e de migrações, defende maior integração política na União Europeia e entende que é fundamental reforçar os laços entre a União Europeia e a NATO".

Marcelo Rebelo de Sousa, que falava no final de uma visita à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), relativizou assim o debate em torno da posição assumida em conjunto pelos líderes francês, alemão, espanhol e italiano a favor de uma UE a várias velocidades, que permita que uns Estados-membros avancem mais rapidamente do que outros.

"O fundamental é que nessas velocidades Portugal esteja sempre, como dizia o Presidente Cavaco Silva, no pelotão da frente, como diz agora o primeiro-ministro António Costa, na linha da frente. No fundo, não sei se percebem que são expressões diferentes para dizer o mesmo. Temos de estar no pelotão da frente, na linha da frente, isto é, na primeira velocidade", defendeu.

Segundo o Presidente da República, "há outros países que querem ficar numa segunda linha, num segundo grupo", e "têm direito a isso, desde que a primeira velocidade seja aberta e, quando eles mudarem de ideias, ou puderem ou quiserem mudar de ideias, eles possam aderir aos que estão na primeira linha".