Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Deputado do PS Domingos Pereira renuncia a mandato no Parlamento

REBELDIA. O deputado do PS Domingos Pereira é o primeiro pretendente a candidato autárquico a não acatar as decisões do partido e a equacionar uma candidatura como independente

d.r.

Depois de ter dito que voluntariamente não se desvincularia do PS nem abandonaria a Assembleia da República, o deputado rebelde decidiu que afinal o melhor é dedicar-se em exclusivo à sua candidatura independente anunciada esta manhã, em Barcelos. "Não estou aqui para enganar ninguém"

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Após quase um mês de suspense sobre se devolvia ou não voluntariamente o cartão de militante socialista com 30 anos e deixaria o grupo parlamentar do PS, Domingos Pereira anunciou esta manhã que, afinal, em política “o melhor é não andar cá e lá” para se concentrar a 100% nos barcelenses. O deputado que se rebelou contra a recandidatura de Miguel Costa Gomes à Câmara de Barcelos, dedidida pela Comissão Política Nacional contra a vontade da concelhia local, avançou que em outubro será candidato à autarquia de que foi o n.º 2 até maio do ano passado, quando o atual presidente da Câmara lhe retirou todos os pelouros, alegando deslealdade política.

Apesar de o PS não ter hostilizado o deputado em nome do equilíbrio instável da geringonça, dependente do apoio do BE e do PAN nos casos de abstenção do PCP, o deputado que chegou a prometer a Carlos César disciplina de voto afirma ao Expresso que “quem está na vida pública tem de ser coerente" e “não andar com jogos de conveniência política”.

“Não estou aqui para enganar ninguém. A partir do momento em que decidi que sou candidato à Câmara de Barcelos como independente, o que é oficializei hoje, desfiliei-me do PS e dentro em breve deixo o Parlamento, num sinal de desprendimento e de credibilização da política”. Domingos Pereira garante que a sua corrida à Câmara de Barcelos não é “uma decisão revanchista” em relação a ninguém, mas tão só o cumprimento das deliberação dos órgãos do partido a nível local, “desrespeitados pela tentação centralista”.

O dissidente socialista garante que a sua candidatura reúne apoios de todos os quadrantes políticos, do PS ao Bloco de Esquerda, e “de muitos barcelenses que não se reveem na gestão de fraca proximidade da vida das pessoas, nem admitem que quem os governa seja decidido por Lisboa”.

Domingos Pereira deixa ainda a Comissão Política Nacional, a liderança da concelhia e a presidência da Mesa da Comissão Política da Distrital de Braga. Entre os seus apoiantes, contam-se Alexandre Maciel e Carlos Brito, dois dos três vereadores do PS que renunciaram a todos os pelouros por solidariedade em maio de 2016.

  • Deputado rebelde do PS: “Não terei atitudes revanchistas”

    Revoltado por ter sido preterido pelo PS como candidato à Câmara de Barcelos, o deputado Domingos Pereira renunciou, esta terça-feira, à liderança da concelhia local. Equaciona entregar o seu cartão de militante com 30 anos, avançar como candidato autárquico à revelia do partido e passar a deputado independente. Mesmo que passe a ser o fiel da balança parlamentar quando o PCP se abstiver de votar ao lado da geringonça, diz que não pensa em jogos de poder revanchistas