Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Deputado abandona PS e confirma candidatura independente em Barcelos

Domingos Pereira

“Não há lutas contra ninguém, não é uma candidatura revanchista”, sublinha Domingos Pereira, que desde esta segunda-feira está desvinculado do PS e em breve deixaraa o Parlamento

O deputado socialista Domingos Pereira anunciou esta segunda-feira que, "num futuro muito próximo", vai renunciar ao lugar que ocupa na Assembleia da República para poder dedicar-se "a 100%" à sua candidatura independente à Câmara de Barcelos.

Em conferência de imprensa, Domingos Pereira acrescentou que a partir desta manhã está desvinculado do PS.

A Concelhia de Barcelos tinha escolhido, por mais de 90% dos votos, Domingos Pereira para liderar a candidatura à Câmara, mas, entretanto, os órgãos nacionais do partido avocaram o processo e impuseram o nome de Miguel Costa Gomes, o atual presidente da autarquia.

Domingos Pereira diz que não se sente responsável por esta dupla candidatura saída do seio socialista nem pela previsível dispersão dos votos, eventualmente beneficiando outros partidos. "Não fui eu que criei este cenário, estou aqui em representação dos órgãos concelhios do PS e por respeito às pessoas que votaram a minha candidatura à Câmara de Barcelos", referiu.

A escolha de Domingos Pereira pelos órgãos concelhios do PS ocorreu antes do congresso nacional do partido em que foi aprovada a diretiva de permitir a recandidatura nas eleições autárquicas de 2017 de todos os presidentes de Câmara socialistas em condições legais de o fazerem. Nesta situação encontra-se Miguel Costa Gomes, atual presidente camarário em Barcelos.

Perante esta situação, a direção nacional do partido avocou o processo autárquico de Barcelos e impôs o nome de Costa Gomes. De imediato, Domingos Pereira demitiu-se da Comissão Política Nacional do PS, de presidente da Concelhia do PS e de presidente da Mesa da Comissão Política da Federação de Braga deste partido. E agora prepara-se para abandonar o lugar de deputado na Assembleia da República, uma atitude que classifica como "um sinal de desprendimento" e como "um contributo para a credibilização da política".

"Depois de assumir a candidatura à Câmara, teria de ficar a 100% nessa candidatura. Os barcelenses não iriam perceber muito bem que fosse candidato e continuasse deputado", acrescentou Domingos Pereira esta manhã.

Disse ainda que teve convites para ser o candidato de outros partidos "sem grande representação no concelho", mas preferiu optar por uma candidatura independente, aberta a "todo o espectro político". "Não há lutas contra ninguém, não é uma candidatura revanchista", sublinhou.

Domingos Pereira foi o número dois do executivo socialista nos dois últimos mandatos. Em maio de 2016, o presidente da Câmara Costa Gomes retirou-lhe os pelouros, alegando "deslealdade".

Na mesma altura, outros três vereadores do PS – Alexandre Maciel, Carlos Brito e Elisa Braga – renunciaram aos pelouros que detinham, em solidariedade com Domingos Pereira. Entretanto, Alexandre Maciel e Carlos Brito foram integrados na comissão técnica eleitoral da candidatura de Costa Gomes.