Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Ultimato. Direita quer ver SMS da CGD até às 18h

Luis Barra

Se tal não acontecer, PSD e CDS afirmam que retirarão “todas as consequências regimentais, jurídicas e políticas”

Os líderes parlamentares do PSD e CDS-PP desafiaram esta quarta-feira o PS, BE e PCP a inverterem a decisão de terça-feira de não analisar as comunicações trocados entre o ministro das Finanças e o ex-presidente do banco público António Domingues.

No final da conferência de lideres, os dois líderes parlamentares Luís Montenegro (PSD) e Nuno Magalhães (CDS-PP) apelaram a que esta decisão seja alterada até às 18h desta quarta-feira, quando se reúne novamente a comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Se tal não acontecer, ambos os partidos afirmam que retirarão “todas as consequências regimentais, jurídicas e políticas” sem especificar quais.

O motivo invocado pelos partidos que chumbaram a não inclusão dos conteúdos das comunicações terá sido o de não se enquadrar no objeto da comissão parlamentar de inquérito, que abarca a gestão do banco público entre 2000 e 2015.