Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Défice nos 2,1% PIB deixa Marcelo “muito feliz” (e a pensar que a oposição também devia ficar)

“Acabam de me dar a notícia de que o défice é muito melhor do que se pensava. Eu registo essa notícia e fico muito feliz. Penso aliás que todos os portugueses, quer do Governo quer da oposição, devem ficar felizes com isso porque isso significa uma boa notícia para o futuro de Portugal”, afirmou o Presidente da República

O Presidente da República considerou esta quarta-feira que Governo e oposição devem ficar felizes com a boa notícia de que o défice de 2016 não será superior a 2,1% do PIB, assumindo que perdeu uma discussão com o primeiro-ministro.

No final da visita à OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal, em Alverca, Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado pelos jornalistas sobre a garantia feita esta quarta-feira no parlamento pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, de que o défice orçamental de 2016 não será superior a 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB).

"Acabam de me dar a notícia de que o défice é muito melhor do que se pensava. Eu registo essa notícia e fico muito feliz. Penso aliás que todos os portugueses, quer do Governo quer da oposição, devem ficar felizes com isso porque isso significa uma boa notícia para o futuro de Portugal", considerou.

Começando por pedir aos jornalistas que lhe dessem conta desses valores anunciados uma vez que disse não saber, o Presidente da República assumiu que perdeu a "discussão com o senhor primeiro-ministro".

"Porque eu entendia que ficava em 2,5% e o senhor primeiro-ministro dizia que ficava muito abaixo de 2,5%. Está visto que perdi", explicou.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, "como disse o comissário europeu [Pierre] Moscovici supera todas as expectativas".

"Eu tinha dito uma coisa parecida a uma entrevista em Espanha e vejo que de facto na altura não esperava um resultado tão bom. É bom para Portugal e portanto é bom para os portugueses. É uma boa notícia", enfatizou.