Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Cavaco e o ministro “com falta de bom senso”, as escutas e a nacionalização do BPN

Tiago Miranda

Livro do ex-Presidente da República destaca 29 temas da coabitação com José Sócrates

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

São 29 os principais temas da coabitação com o então primeiro-ministro José Sócrates que o ex-Presidente da República Cavaco Silva escolheu para abrir o livro de memórias. O livro “Quinta-feira e outros dias”, que será lançado esta semana, incide sobre a sua relação com Sócrates, deixando os anos da coabitação com Pedro Passos Coelho para outro volume.

E sobre quê promete falar Cavaco? Entre outros temas, o processo de escolha de Pinto Monteiro, as escutas em Belém, a relação de Sócrates com os media bem como com o regime de Hugo Chávez ou o processo de nacionalização do BPN.

Eis a lista do ex-Presidente da República com os títulos dos capítulos que constam do livro:

• O diálogo com o Governo
• Os primeiros contactos com o primeiro-ministro
• A escolha do novo Procurador-Geral da República
• O acordo entre o PS e o PSD sobre a reforma da Justiça
• As Forças Armadas
• O Novo Aeroporto de Lisboa
• A rede ferroviária de alta velocidade e outros investimentos
• A falta de bom senso de um ministro
• Um ministro que falava de mais
• A reforma das universidades
• A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia
• A interrupção voluntária da gravidez
• O novo modelo da empresa Estradas de Portugal
• O primeiro-ministro e a comunicação social
• O reconhecimento da independência do Kosovo
• O Governo e a Venezuela de Hugo Chávez
• A crise financeira internacional de 2008
• O estatuto político-administrativo dos Açores
• A avaliação dos professores
• A nacionalização do Banco Português de Negócios
• As intrigas políticas do verão de 2009
• A formação do XVIII Governo Constitucional
• O Orçamento do Estado para 2010 e as finanças regionais
• O risco de contágio da crise grega
• Os dias loucos do Orçamento do Estado para 2011
• O negócio da venda da empresa Vivo
• O PEC 4 e a demissão do primeiro-ministro
• Portugal à beira da bancarrota
• A última quinta-feira

Ao todo, o livro tem cerca de 600 páginas está dividido em três partes: a primeira, mais pessoal, sobre ‘Passos de uma vida feliz’, a segunda sobre as reuniões de quinta-feira com Sócrates e a terceira sobre ‘Acreditar nos portugueses’.

Num excerto do livro publicado este sábado pelo Expresso, Cavaco explica como sempre recusou “a política-espetáculo, tão cara a muitos políticos por proporcionar notícias e fotografias, mas que não traz qualquer benefício ao país”, numa formulação que pode ser vista como uma crítica ao atual Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa.

Sobre José Sócrates, Cavaco lembra que este surgia sempre bem preparado para as reuniões, que se exaltava por vezes e que a pontualidade não era o seu forte. Uma vez recusou mesmo recebê-lo dado o atraso. E conta como começou a desconfiar das “boas notícias” que frequentemente este lhe trazia.

O lançamento do livro ocorre esta quinta-feira no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, edifício inaugurado por Cavaco quando era primeiro-ministro. A apresentação caberá a Manuel Braga da Cruz, ex-diretor da Universidade Católica.