Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Passos controla escolha de Lisboa

MARCOS BORGA

Concelhia e distrital estão fora do processo. Rui Gomes da Silva ainda é hipótese, Morais Sarmento foi, mas já não é

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

A concelhia e a distrital de Lisboa do PSD afastaram-se do processo de escolha do candidato do partido à Câmara de Lisboa, estando esse dossiê exclusivamente nas mãos de Pedro Passos Coelho. O presidente do PSD tem-se desdobrado em contactos para resolver o imbróglio em que se tornou o dossiê da capital e, apesar de ainda não ter um nome para apresentar, continua igual a si próprio: “Mostra-se muito tranquilo e confiante”, diz uma fonte partidária próxima de Passos.

O Expresso sabe que o PSD voltou a testar em sondagem o nome de Maria Luís Albuquerque — esta vice-presidente do PSD, tal como a também vice-presidente Teresa Leal Coelho, é vista como hipótese de recurso no caso de Passos não conseguir recrutar um candidato fora do seu círculo mais restrito. Porém, segundo fontes partidárias que conhecem estes estudos, todos os nomes que têm sido testados em sondagens pelo PSD colocam os candidatos sociais-democratas muito longe do socialista Fernando Medina e mesmo atrás de Assunção Cristas, a candidata do CDS. São os casos de Luís Marques Mendes (5,4%), Nuno Morais Sarmento (5,9%) e Maria Luís Albuquerque (7,4%), de acordo com sondagens de dezembro que o Expresso consultou. Nesse estudo, o melhor resultado para o PSD era num cenário que o partido excluiu: uma coligação com o CDS para apoiar Cristas chega aos 25,7% (ainda assim, muito longe de Medina, que está em terreno de maioria absoluta).

Nuno Morais Sarmento, uma das hipóteses testadas nestas sondagens, tem sido um nome bastante referido nas últimas semanas. O ex-ministro teria dado sinais, em conversas particulares, de poder ponderar uma candidatura, num exercício de empenhamento partidário — mas uma fonte da direção do PSD garante ao Expresso que houve uma conversa com o advogado (não por Passos Coelho, mas por alguém que lhe é próximo) e este não se mostrou recetivo a uma candidatura.
Outro nome que tem alimentado especulações em Lisboa é Rui Gomes da Silva. O Expresso sabe que o ex-ministro do Governo de Santana Lopes e ex-dirigente do Benfica foi abordado por militantes de Lisboa e, apesar de se sentir muito distante de Passos Coelho, não terá fechado completamente a porta. Porém, da direção do PSD não houve, até esta semana, qualquer reação a essa eventual disponibilidade