Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Jerónimo de Sousa: “É importante que se acabe este folhetim” da CGD

PAULO NOVAIS / Lusa

O líder do Partido Comunista diz que o que é necessário é avançar com o processo de recapitalização da Caixa para que ela continue pública como até aqui

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, disse este sábado à tarde que é preciso acabar com o "folhetim" em torno da Caixa Geral de Depósitos e avançar com o processo de recapitalização.

“Pelo papel que pode ter na economia portuguesa, no apoio às pequenas e médias empresas e no apoio às famílias é importante que acabe este folhetim, que se processe, realize e avance o processo da recapitalização e que a Caixa Geral de Depósitos continue pública como até aqui”, afirmou esta tarde.

O dirigente falava no Celeiro do Cais da Vala, em Salvaterra de Magos, concelho atualmente de maioria socialista que já foi gerido pela CDU (perdido para o BE com a mudança da então presidente Ana Ribeiro para este partido), num comício realizado no âmbito da campanha “Emprego, Direitos, Produção, Soberania”.

“Em relação à Caixa Geral de Depósitos, os portugueses têm sido confrontados com sucessivos folhetins que a direita tem promovido a propósito de tudo e mais um par de botas – conferências de imprensa, comissões de inquérito -, agora são as tricas entre um ministro das Finanças e um ex-presidente de conselho de administração que não chegou a ser, depois é a correspondência secreta que não é tão secreta assim”, disse ainda.

Além disso, disse ainda que, enquanto o PSD e o CDS “encanzinarem, em particular o processo de recapitalização”, maior será a possibilidade de a privatização acontecer.

“Não estou a fazer nenhuma suspeição em relação aos objetivos da direita quanto à questão da privatização. Passos Coelho, ele mesmo, admitiu essa possibilidade aqui há uns anos. Nisto não falam mas é nisto que pensam”, afirmou, acusando PSD e CDS de querem ainda “comprometer a nova fase da vida nacional, na mira de regressar ao poder e exercer uma política de vingança, de retrocesso” na reposição de rendimentos.