Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Deputados do PSD pelo Porto exigem formalização do financiamento para 'Joãozinho'

Rui Duarte Silva

Em janeiro foi anunciado que o Ministério da Saúde aprovou o plano para construção do internamento pediátrico do Hospital de S. João, no Porto, que representa um investimento de 20 milhões de euros mas, segundo os sociais-democratas, “o financiamento não está assegurado do ponto de vista formal

Os deputados do PSD eleitos pelo Porto manifestaram-se esta segunda-feira "muito preocupados" com o financiamento para a construção da ala pediátrica 'Joãozinho' do Centro Hospitalar de São João, que "não está assegurado" formalmente.

"Saímos muito preocupados porque o investimento de 20 milhões na ala pediátrica [tem apenas] garantida uma manifestação de intenções", disse Miguel Santos, vice-presidente da bancada parlamentar do PSD, da Comissão de Saúde da AR e da distrital do Porto, depois de uma reunião com o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de São João.

Em janeiro foi anunciado que o Ministério da Saúde aprovou o plano para construção do internamento pediátrico do Hospital de S. João, no Porto, que representa um investimento de 20 milhões de euros mas, segundo os sociais-democratas, "o financiamento não está assegurado do ponto de vista formal".

Após a visita -- que contou com a presença dos deputados Miguel Santos, Paulo Rios, Emília Santos, o líder da distrital Bragança Fernandes, o líder da concelhia Miguel Seabra e o candidato à Câmara do Porto e ex-presidente da ARS Norte Álvaro Almeida -- os sociais-democratas disseram ainda estar "surpreendidos" por saber que aquele hospital "tem necessidades de investimento de 66 milhões de euros que também não estão devidamente assegurados".

Tem por isso um "risco de degradação das condições de prestação de cuidados de saúde que vão para além da ala pediátrica", razão pela qual dizem não entender "como é que o governo deixa um centro hospitalar com esta dimensão, um centro de referência da região norte, abandonado em termos do investimento necessário para assegurar o bom funcionamento das instalações".

Os deputados do PSD eleitos anunciaram que vão "denunciar esta situação e exigir que o Governo (...) aumente o investimento para a área da saúde", sobretudo para a região Norte.

No final de outubro, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, disse que o projeto "Joãozinho" é "um problema que tem de se resolver".

O projeto "Joãozinho" nasceu em 2009 e em março de 2015 foi lançada a primeira pedra da obra pelo então primeiro-ministro, Passos Coelho. O projeto só avançou nove meses depois com a demolição de instalações junto à Urgência Pediátrica, mas a obra voltou a parar pouco tempo.