Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

CDU avança em Lisboa contra a “alternância” entre o PS e a direita

Paulo Vaz Henriques

“A alternância PS/PSD-CDS não é, nunca foi, algo a que os lisboetas se tenham de resignar”, afirmou João Ferreira, n.º 1 da lista da CDU à Câmara de Lisboa, na apresentação da candidatura, esta manhã

Foi com fortes críticas ao Executivo socialista que governa Lisboa há uma década (primeiro António Costa, desde 2007; e Fernando Medina, desde 2015) que João Ferreira se apresentou como cabeça de lista da CDU às autárquicas do próximo outono. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, nos Paços do Concelho, em Lisboa.

Depois de dizer que os lisboetas não têm de se "resignar" à "alternância" entre PS e PSD/CDS, o atual vereador e deputado europeu afirmou: "As próximas eleições autárquicas poderão significar, em Lisboa, o fecho de um ciclo. Dezasseis anos depois, a opção é entre mais do mesmo ou o início dum novo ciclo: de mudança, de desenvolvimento, de progresso".

Antes do PS, frisou João Ferreira, Lisboa foi governada durante seis anos por PSD/CDS. No período de mais de década e meia criticado por João Ferreira, "acentuou-se a segregação social" em Lisboa, afirmou João Ferreira, entre muitos outros fortes reparos ao estado da cidade.

Há 16 anos, recorde-se, a capital era governada pelo socialista João Soares, mas à frente de uma coligação que integrava os comunistas.

No anúncio da sua recandidatura à Lisboa, João Ferreira reivindicou os louros do passado autárquico da CDU: "Não chegámos hoje, nem ontem. Ao longo dos últimos anos, fomos uma oposição crítica, atenta, exigente e construtiva. No que foi bem feito em Lisboa está a mão ou o apoio da CDU. Na advertência para os erros e na sua denúncia elevou-se a voz da CDU", disse.

João Ferreira já fora em 2013 o número 1 da coligação liderada pelos comunistas. Há quatro anos, em que teve como adversários António Costa e Fernando Seara (à frente da lista PSD/CDS), a candidatura liderada por Ferreira alcançou 9,85% dos votos e elegeu dois vereadores (mais um do que no mandato anterior).

João Ferreira, 38 anos, é um dos elementos mais destacados da nova geração de dirigentes do PCP. É eurodeputado desde 2009, tendo mesmo liderado a lista da CDU nas europeias de 2014, e integra o comité central do PCP desde 2012.

Biólogo de formação, na faculdade foi dirigente associativo e, mais tarde, o primeiro presidente da Associação de Bolseiros de Investigação Científica (ABIC).

Depois de Assunção Cristas, líder do CDS/PP, é agora conhecido o segundo candidato à presidência da principal autarquia do país (além do atual presidente, Fernando Medina, que irá naturalmente apresentar-se a votos). Dos partidos hoje com assento na vereação lisboeta, falta conhecer a aposta do PSD. O Bloco de Esquerda, que apenas está representado na Assembleia Municipal, também ainda não divulgou o nome do seu candidato à Câmara.