Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

BE e PCP concordam com a redução do PEC anunciada pelo Governo

NUNO VEIGA / LUSA

Depois de o primeiro-ministro ter anunciado que a redução do Pagamento Especial por Conta será a medida de substituição da descida da TSU, os partidos que apoiam o Governo confirmaram estar de acordo com a proposta

Pouco depois de o primeiro-ministro António Costa ter confirmado, esta quinta-feira, que a redução do Pagamento Especial por Conta (PEC) para as empresas será a medida que substituirá a descida da TSU, os dois parceiros do Governo que ontem chumbaram a baixa da TSU no Parlamento, manifestaram o seu acordo com esta nova medida.

"Agora, esta proposta do Governo vem ao encontro daquilo que o PCP defende - uma redução ainda mais significativa do PEC. É uma proposta que merece o nosso acordo", afirmou o deputado comunista Paulo Sá esta quinta-feira, nos passos perdidos da Assembleia da República.

Também o líder parlamentar do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, manifestou concordância com a proposta do Governo, por considerar que "ajuda" as pequenas e médias empresas.

Em declarações aos jornalistas no parlamento, Pedro Filipe Soares afirmou que a proposta hoje aprovada em Conselho de Ministros "vai ao encontro" de posições que o partido tem defendido no sentido de "ajudar particularmente as pequenas e médias empresas".

Recorde-se que a descida de 1,25 pontos percentuais da TSU para as empresas tinha sido apontada como a contrapartida dada aos patrões para o aumento do salário mínimo, mas foi chumbada no Parlamento esta quarta-feira, pelo PSD, BE, PCP e Verdes. PS votou a favor da medida e o CDS absteve-se. O Governo ficara de negociar com os parceiros sociais uma nova medida que substituísse a medida entretanto chumbada.