Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Jardim considera presença de Passos no congresso do PSD/Madeira um “tiro no pé”

HOMEM DE GOUVEIA / Lusa

Apesar de não ter comparecido ao congresso regional dos sociais-democratas madeirenses, o presidente honorário do PSD/Madeira criticou a presença de Pedro Passos Coelho

O presidente honorário do PSD/Madeira, Alberto João Jardim, considerou esta segunda-feira que a presença do líder nacional do partido no XVI congresso regional dos sociais-democratas madeirenses, que decorreu este fim de semana, no Funchal, foi "um tiro no pé".

"Se a vinda de Passos Coelho [líder nacional do PSD] foi um tiro no pé, bem como traições fraturantes gravíssimas nas últimas eleições autárquicas são de recuperação difícil, considero bom o discurso do Miguel Albuquerque no encerramento do congresso", diz Jardim na sua página oficial do Facebook, sem fazer mais qualquer referência à presença do líder nacional do partido, no sábado, na sessão de abertura da reunião magna dos sociais-democratas madeirenses.

O cofundador do PSD/Madeira, partido que liderou durante quatro décadas, esteve ausente do congresso, o qual serviu para reconfirmar a liderança de Miguel Albuquerque, embora confirme ter sido convidado para as sessões de abertura e encerramento.

"Discordando de várias posições institucional ou partidariamente assumidas desde o último congresso regional, em especial as fraturantes de uma indispensável coesão e as que me tocaram diretamente ou indiretamente, entendo não dever comparecer desta vez", respondeu o presidente honorário do PSD/Madeira ao convite endereçado pelo presidente cessante da Mesa, Adolfo Brazão.

Nesta mensagem, Jardim manifestou também "inteira disponibilidade para, como militante de base, colaborar em tudo o que a direção regional do partido entenda, desde que não choque com os princípios e práticas" que caracterizam a sua participação cívico-política.

Na sua opinião sobre o congresso regional do PSD/Madeira, o ex-líder madeirense repudia o que classifica de "insinuações canalhas" daqueles que, aproveitando o encontro, lhe atribuíram "responsabilidades por uma publicação anónima", nomeadamente a que desvalorizava a importância desta reunião ao considera-la "congressozinho". Jardim também considera que estas insinuações podem fazer parte de uma "campanha idiotamente estruturada" para o atingir.

Alberto João Jardim censura igualmente o conteúdo do discurso do atual presidente da Mesa do congresso do PSD/Madeira, Sérgio Marques (secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus do executivo madeirense), opinando que estragou "desastradamente o espírito de unidade" que o encontro "propunha atingir".

"Desejo que o Miguel Albuquerque [seu sucessor no partido e na chefia do executivo madeirense] não cometa alguns erros que eu cometi por, a tempo, não ter conhecido melhor certas pessoas", conclui.