Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Ruas não exclui regresso a Viseu

Luís Barra

“Não sou nem deixo de ser candidato. Se me apetecer ser, serei”, diz o ex-autarca. PSD apoia Almeida Henriques

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

Fernando Ruas, o homem que presidiu à Câmara de Viseu durante 24 anos, não recusa a hipótese de voltar a candidatar-se à autarquia. Mesmo que o PSD, como está previsto, apoie a recandidatura de Almeida Henriques, o atual presidente viseense. A possibilidade de Ruas se apresentar à frente de uma lista independente, contra o seu partido de sempre, tem motivado “conversas e reuniões”, sabe o Expresso — e esta semana foi o ex-número dois da autarquia, Américo Nunes, a dar gás a esse cenário. O PSD não acredita que tal possa acontecer, mas Ruas não desfaz o tabu.

“Não sou candidato nem deixo de ser. Não abdico da minha liberdade enquanto cidadão e viseense”, diz Fernando Ruas ao Expresso. Perante as declarações do seu antigo “vice”, que disse ao “Jornal do Centro” que está “incondicionalmente disponível para integrar a candidatura de Fernando Ruas”, o histórico social-democrata responde que não tem “nada a opor”. Pelo contrário: “Se houver condições, na altura, e se me apetecer, serei [candidato]. Não tenho nenhuma limitação”, reforça Ruas, lembrando que só abandonou a autarquia porque a lei de limitação de mandatos não o deixou recandidatar-se. Passado o atual mandato, poderá voltar a fazê-lo. “Na altura em que o candidato do PSD for anunciado, eu tomarei as minhas decisões”, acrescenta Ruas, numa referência ao facto de ainda não ter sido apresentada oficialmente a recandidatura de Almeida Henriques.

Mas não há dúvidas sobre o apoio do PSD a um novo mandato do atual presidente. Pedro Alves, líder do PSD-Viseu, reafirmou isso mesmo. “O PSD já definiu o seu candidato há muito tempo, é o dr. Almeida Henriques”, diz o responsável distrital. Quanto à hipótese do regresso do anterior presidente da câmara, Alves assegura que “nem o dr. Ruas considera essa possibilidade nem o PSD precisa de encontrar um candidato”.

Segundo o Expresso apurou, Ruas nunca pôs de parte a hipótese de regressar e mantém grande influência sobre o aparelho local. É essa máquina, onde estão muitos colaboradores de Ruas que perderam influência com a chegada de Almeida Henriques, que o tem incentivado a regressar. Um discurso recente em que o atual autarca deixou críticas ao antecessor acicatou os ânimos. Porém, o facto de Ruas ser eurodeputado e ter lugar de destaque na direção de Passos Coelho — é presidente da mesa do congresso e, por inerência, presidente do Conselho Nacional — torna pouco provável (“impossível”, na opinião de um social-democrata próximo de Ruas) que desafie o candidato oficial do partido