Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

MNE: “Portugal não tem nenhuma reserva em relação à nova administração dos EUA”

MÁRIO CRUZ / Lusa

O ministro dos Negócios Estrangeiros garante que Portugal terá com a administração de Donald Trump “a mesma relação” que teve com a anterior, lembrando que há “muito trabalho a fazer” com os Estados Unidos, que são “um vizinho” e “um aliado” de Portugal

O ministro dos Negócios Estrangeiros garante que Portugal irá manter com a nova administração de Donald Trump "a mesma relação" que teve com a anterior. "Portugal não tem nenhuma reserva em relação à nova administração dos Estados Unidos", afirmou Augusto Santos Silva, esta sexta-feira, em audição na comissão de Negócios Estrangeiros, na Assembleia da República.

"Os Estados Unidos são um vizinho de Portugal, se considerarmos que somos uma nação de vocação marítima, e por isso o nosso vizinho do outro lado do Atlântico são os Estados Unidos", afirmou. "Os Estados Unidos são um aliado de Portugal, um dos parceiros essenciais".

Uma das questões centrais na ligação entre Portugal e os Estados Unidos, designadamente em matéria de segurança e defesa, é a Base da Lajes. Essa é uma questão "que ainda não está resolvida", afirmou Santos Silva, em resposta às perguntas feitas pelos deputados, assumindo no entanto que os Açores "unem" Portugal e os EUA.

"Os americanos elegeram o seu novo presidente e a nós cabe-nos trabalhar com a nova administração", garantiu o ministro. "Mas não significa que abdiquemos dos nossos princípios, que são os de sempre." Entre eles estão a defesa da "relação pacífica de conflitos", a defesa do comércio internacional, com "muitas reservas quanto a dinâmicas de natureza protecionista".

Santos Silva falou ainda dos contactos que o governo português estabeleceu desde cedo com elementos da equipa de transição de Donald Trump, anterior ao contacto feito na semana passada entre Marcelo Rebelo de Sousa e Donald Trump, por telefone.

Questionado pela deputada Domicília Costa, do Bloco de Esquerda, sobre eventuais receios que a comunidade portuguesa nos EUA esteja a ter em relação a novas políticas de imigração, o ministro disse não ter informação sobre algum receio. "Acompanharemos com muito cuidado, quer no domínio multilateral quer bilateral, qualquer inflexão da política dos Estados Unidos quanto à imigração", respondeu, lembrando no entanto que a comunidade portuguesa nos EUA é "muito enraizada", não sendo um destino recente da emigração portuguesa.

[notícia atualizada às 11h27]