Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa garante que défice “não será superior a 2,3%”

Luís Barra

Primeiro-ministro avança com estimativa para o resultado do défice de 2016 no discurso de arranque do primeiro debate quinzenal deste ano no Parlamento

O primeiro-ministro garantiu esta tarde no Parlamento que, segundo os números que o Governo tem em sua posse, “o défice de 2016 não será superior a 2,3%”. Um valor que ficará assim abaixo da meta de 2,5% fixada pela Comissão Europeia.

“Contra todas as antevisões de desgraça, contra todos os prognósticos de planos A, B ou Z, Portugal cumpriu os seus compromissos, sem ter tido necessidade de recorrer a orçamentos retificativos ou a medidas adicionais”, defendeu António Costa no discurso que marcou o arranque do primeiro debate quinzenal de 2017, na Assembleia da República.

“Afinal havia mesmo alternativa. E uma alternativa com melhores resultados”, prosseguiu Costa, apontando de seguida a evolução do emprego e do desemprego como exemplos de que “2016 foi um ano de viragem” nas “contas públicas, no crescimento económico, no emprego, na confiança dos investidores e das famílias”.

“Os sinais de mudança estão aí”, disse, antecipando que 2017 será “o ano de prosseguir a política da recuperação de rendimentos e de promoção do investimento.”