Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Carlos César saúda Soares por ter sido “o militante nr. 1 da democracia”

Marcos Borga

Presidente e líder parlamentar do PS encerrou sessão de evocação a Mário Soares, na Assembleia da República, saudando o facto de o antigo Presidente ter desafiado “as regras do ‘Príncipe’ na política”. “Foi perfeito e imperfeito”, mas “nunca faltou ao seu país”

O presidente e líder parlamentar do PS, Carlos César, citou esta tarde o presidente da Assembleia da República para admitir o orgulho que sentia, como presidente dos socialistas, por Mário Soares ter sido "o militante número um da democracia" portuguesa.

No discurso que encerrou a sessão de evocação a Mário Soares, esta tarde realizada na Assembleia da República, César destacou o facto de o antigo Presidente da República, que faleceu no passado sábado, ter sido "um grande português".

"Mário Soares desafiou as regras do 'Príncipe' na política. Foi perfeito e imperfeito. Foi ousado e cometeu imprudências. Apostou e ganhou. Apostou e perdeu. Foi fraterno e foi difícil. Nunca foi, porém, desinteressante e muito menos irrelevante. Nunca faltou ao seu país. Era cosmopolita. Foi sempre universalista", argumentou o líder parlamentar do PS, depois de já ter invocado Soares como "procurador" de Portugal, "ajudando ao nosso reconhecimento" em todo o mundo.

"Não me recordo de alguma vez ter ouvido Mário Soares definir Portugal como "um país pequeno". E Portugal é, na realidade, um país de escala mediana no concerto mundial. Mário Soares nunca pertenceu à categoria dos dirigentes portugueses que diminuem o nosso país no concerto das nações, para justificarem a mediocridade da sua própria ação e dos seus resultados", defendeu, num discurso que rematou com um "viva o Presidente Mário Soares!".