Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo vai reunir-se com Felipe VI, Temer e Schulz

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e a a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, a representar o Governo, receberam o cortejo fúnebre no Mosteiro dos Jerónimos, perto das 13h10

José Carlos Carvalho

Encontros em Belém decorrem na terça-feira à margem das cerimónias fúnebres de Mário Soares

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai receber na terça-feira, em Belém, o rei de Espanha Felipe VI, o Presidente do Brasil, Michel Temer, e o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz.

Estas autoridades estrangeiras vão estar em Lisboa para as cerimónias fúnebres do antigo chefe de Estado Mário Soares, e terão encontros com Marcelo Rebelo de Sousa no Palácio de Belém à margem dessas cerimónias.

Às 10h30, o Presidente da República recebe em audiência o Presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, seguindo-se às 11h o Presidente da República Federativa do Brasil, Michel Temer, e às 11h30 o rei de Espanha, Felipe VI.

Ao meio dia, o chefe de Estado português recebe, em audiência conjunta, outros altos dignitários estrangeiros presentes em Lisboa para as cerimónias fúnebres.

Às 18h, Marcelo Rebelo de Sousa recebe em audiência o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca.
Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa.

O Governo português decretou três dias de luto nacional, até quarta-feira.

O corpo do antigo Presidente da República está em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos desde as 13:10 de hoje, depois de ter sido saudado por milhares de pessoas à passagem do cortejo fúnebre pelas principais ruas da capital com escolta a cavalo da GNR.

O funeral realiza-se na terça-feira, pelas 15h30, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, após passagem do cortejo fúnebre pelo Palácio de Belém, Assembleia da República, Fundação Mário Soares e sede do PS, no Largo do Rato.

Nascido a 7 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares, advogado, combateu a ditadura do Estado Novo e foi fundador e primeiro líder do PS.

Após a revolução do 25 de Abril de 1974, regressou do exílio em França e foi ministro dos Negócios Estrangeiros e primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, tendo pedido a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e assinado o respetivo tratado, em 1985.

Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.