Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Carlos Moedas vai estar no funeral de Mário Soares em representação da Comissão Europeia

luís barra

Estarão ainda no funeral o ex-primeiro-ministro francês Lionel Jospin, o ex-Presidente do Brasil José Sarney e ex-presidente da Comissão Europeia Jacques Santer e ainda o ex-presidente do Governo espanhol, Felipe Gonzalez. E também o príncipe marroquino Moulay Rachid, irmão do rei; o Presidente da República da Guiné-Bissau, José Mário Vaz; o vice-ministro das Relações Exteriores de Cuba, Alfonso Dastis; o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz; o presidente da Assembleia Nacional angolana, Fernando da Piedade Dias dos Santos,em representação de Angola; o Presidente de Cabo Verde e o do Brasil, Michel Temer

O comissário europeu Carlos Moedas vai estar presente no funeral do antigo Presidente da República Mário Soares, na terça-feira, em representação do Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, informou esta segunda-feira a Comissão Europeia.

Carlos Moedas estará presente no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, logo pelas 13h00, onde haverá uma cerimónia antes do corpo partir para em direção ao cemitério dos Prazeres, onde irá a enterrar às 15h30.

Juncker não virá a Portugal, mas num comunicado do órgão executivo da União Europeia, disse que “a vida de Mário Soares confunde-se com a história recente de Portugal e com episódios marcantes do processo de construção da União Europeia”.

“O meu amigo Mário nunca virou a cara à luta e às responsabilidades de um democrata. (…) Foi também assim quando desempenhou com dinamismo e visão todas as funções que lhe foram confiadas pelo povo português, contribuindo decisivamente para tornar Portugal num membro indispensável da família europeia (…) Portugal e a Europa perdem um pouco de si", acrescentou.

Já o comissário europeu responsável pela Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, declarou que Mário Soares “é um dos raros portugueses do Portugal contemporâneo de quem se pode dizer, realmente, que foi um cidadão do mundo”.

“Sobre a vida e obra de Mário Soares está quase tudo dito e escrito. Foi não só um dos construtores da democracia portuguesa, mas também um dos arquitetos da Europa - de uma certa ideia de Europa que hoje damos por adquirida. Falta acrescentar que ele se soube transcender a si próprio, ao seu país, e ao seu combate político, para figurar entre os grandes da História da Humanidade”, recordou Carlos Moedas.

Além do comissário europeu Carlos Moedas, os antigos primeiro-ministro francês Lionel Jospin, presidente do Brasil José Sarney e presidente da Comissão Europeia Jacques Santer, bem como o príncipe marroquino Moulay Rachid, irmão do rei, estarão presentes no funeral de Mário Soares, na terça-feira.

Estes nomes juntam-se às presenças já confirmadas do Presidente da República da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, do vice-ministro das Relações Exteriores de Cuba, do ministro das Relações Externas (Negócios Estrangeiros) e da Cooperação de Espanha, Alfonso Dastis, e do presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz.

O ex-presidente do Governo espanhol e ex-líder do PSOE, Felipe Gonzalez, liderará a delegação dos socialistas espanhóis, enquanto o presidente da Assembleia Nacional angolana, Fernando da Piedade Dias dos Santos, irá representar Angola nas cerimónias fúnebres.

O Presidente de Cabo Verde vai também participar nas cerimónias fúnebres em honra do antigo chefe de Estado português Mário Soares, bem como o Presidente do Brasil, Michel Temer.

Hoje participará ainda nas cerimónias fúnebres Artur Más, ex-presidente da Generalitat (governo autónomo catalão).

Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa. O Governo português decretou três dias de luto nacional, até quarta-feira. Esta segunda-feira o corpo segiu para os Jerónimos, onde poderá ser velado até à meia-noite. Na terça-feira parte em direcção ao cemitério dos Prazeres pelas 14h00 onde irá a enterrar às 15h30.