Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Francisco Pinto Balsemão recorda Soares como um “bom amigo”

“Mário Soares vai fazer-me muita falta a mim e a todos também, sobretudo aos que acreditam na liberdade, na democracia e na Europa”, afirmou o fundador do grupo Impresa

Francisco Pinto Balsemão recorda Mário Soares como um "grande democrata" e alguém com manteve uma longa relação de amizade. "Perdi um bom amigo", disse este sábado o fundador do grupo Impresa e ex-primeiro ministro.

"É um amigo que vem dos tempos de Salazar, foi aí que nos conhecemos", recordou este sábado, no dia da morte de Soares, aos 92 anos. "A nossa amizade durou nas várias etapas da vida dele e da minha até hoje."

"Nem sempre estivemos de acordo. A verdadeira amizade é aquela que permite que as pessoas estejam em desacordo e continuem amigas", afirmou. "Mário Soares vai fazer-me muita falta a mim e a todos também, sobretudo aos que acreditam na liberdade, na democracia e na Europa."

Francisco Pinto Balsemão foi primeiro-ministro em 1982 e recorda o "empenho" de Mário Soares na revisão constitucional de 1982, para além do seu papel anterior como deputado da Assembleia Constituinte em 1975, por exemplo.

"Mário Soares teve uma importância fundamental para que conseguíssemos sair de onde estávamos: 40 anos de ditadura de direita", recorda.

Balsemão lembra aida Soares como um "homem de cultura, um homem que lia e que escrevia".