Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Juros a 4% não assustam Costa

José Coelho / Lusa

Primeiro-ministro sublinha que subida da taxa de juros da dívida pública não aconteceu apenas em Portugal. Sobre futuro do Novo Banco, silêncio

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

O primeiro-ministro reagiu esta sexta-feira à subida da taxa de juros da dívida pública a 10 anos que ultrapassou os 4% considerando que se tratou de um "movimento geral" que não afetou apenas Portugal.

"Temos vindo a acompanhar mas estamos confiantes", afirmou Antonio acosta aos jornalistas durante a viagem para a Índia, numa escala em Frankfurt, referindo-se aos novos dados da execução orçamental e à descida da dívida pública. "Temos boas razões para estar confiantes", insistiu.

Questionado sobre o processo de venda do Novo Banco, o primeiro-ministro remeteu para o comunicado emitido esta quinta-feira pelo Ministério das Finanças, recusando fazer qualquer tipo de consideração sobre as hipóteses que estão em cima da mesa: venda, nacionalização ou recapitalização.