Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa quer 2017 como o ano da maior descentralização para as autarquias

Marcos Borga

“O próximo ciclo dos autarcas a eleger em outubro deste ano dever ser marcado por mais meios, mais competências e mais responsabilidades para poderem servir ainda melhor as suas populações”, referiu o primeiro-ministro

O secretário-geral do PS insistiu esta quarta-feira num amplo consenso partidário para a descentralização e reforço de competências do Poder Local, alegando que isso significará um voto de confiança que honrará os primeiros autarcas eleitos há 40 anos.

António Costa discursava perante uma sala cheia na sede nacional do PS, em Lisboa, numa sessão que homenageou os autarcas socialistas eleitos nas primeiras autárquicas pós-25 de Abril, mais concretamente a 12 de dezembro de 1976.

Estando a escutá-lo 28 dos 115 presidentes de câmaras socialistas eleitos em 1976, António Costa fez um discurso em que lembrou a missão dos primeiros autarcas, que enfrentaram as tarefas de levar luz, água e saneamento às respetivas populações, e insistiu num desafio que dirigiu a todas as forças políticas.

"A melhor forma de homenagear os autarcas que ao longo destas últimas quatro décadas contribuíram para o Poder Local democrático é dar-lhes um grande voto de confiança naquilo que são as autarquias locais. E a melhor forma de formular esse voto de confiança é, efetivamente, reforçar as competências e os meios das autarquias", declarou o líder socialista.

Para António Costa, os 40 anos das primeiras eleições locais "devem ser assinalados como sendo o ano do maior passo descentralizador da democracia portuguesa".

"O próximo ciclo dos autarcas a eleger em outubro deste ano dever ser marcado por mais meios, mais competências e mais responsabilidades para poderem servir ainda melhor as suas populações", acentuou o líder do executivo.