Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Alívio do IRS é “prioridade” do Governo para 2017

Marcos Borga

Fernando Rocha Andrade, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, disse que a prioridade do Governo para 2017 é descer a taxa de IRS do segundo escalão e defendeu que Portugal não precisa de reestruturar a sua dívida, mas sim “ir dando os sinais de que é um país em que se pode confiar nas metas orçamentais”

Helena Bento

Jornalista

Em entrevista à Antena 1, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais disse que a prioridade do Governo para 2017 é descer a taxa de IRS do segundo escalão. “[Uma taxa de] 28,5%, logo a partir dos sete mil euros de rendimento tributável. É uma taxa muito pesada em termos comparativos e cremos que essa é uma das principais urgências”, disse.

Fernando Rocha Andrade disse ainda Portugal não precisa de reestruturar a sua dívida, mas sim “ir dando os sinais de que é um país em que se pode confiar nas metas orçamentais”, e acusou a proposta do social-democrata Rui Rio de criar um imposto para pagar a dívida de não ter “pés nem cabeça”. Não escondendo a sua preocupação com a subida dos juros da dívida, o secretário de Estado mostrou-se confiante de que o cumprimento da meta do défice vai aliviar a pressão dos mercados.

Sobre o sigilo bancário, o governante defendeu que “são precisas mais armas para combater a fraude e a fuga ao fisco” e garantiu que vai continuar a lutar pela aprovação do diploma que obriga os bancos a comunicarem anualmente ao fisco o saldo das poupanças dos seus clientes.