Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Ministro rejeita solução proposta por Marcelo para a Cornucópia

Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes

ESTELA SILVA/ LUSA

“Não nos parece que um estatuto de exceção seja uma boa ideia.” Ministro da Cultura acredita que a Cornucópia não vai fechar

O ministro da Cultura demarcou-se hoje da solução avançada pelo Presidente da República para a Cornucópia. No Forum da TSF, Castro Mendes afirmou que criar "um estatuto de exceção (para a companhia) não nos parece, em termos jurídicos e de Direito, que seja uma boa ideia".

"Criar um estatuto em que as companhias que pela sua grande qualidade histórica não teriam que se apresentar a concurso? Não é essa a nossa ideia", afirmou o ministro. A sugestão de criar um estatuto de exceção para a Cornucópia foi avançada pelo Presidente da República no sábado, quando se deslocou ao teatro, antes de o Governo lá chegar.

Apesar de discordar da sugestão de Marcelo Rebelo de Sousa, Castro Mendes mostrou-se confiante de que a Cornucópia não irá fechar. "Verifiquei ontem, num espetáculo de qualidade a que assisti, que a intenção da companhia parece ter passado a ser outra e estarem dispostos a continuar", afirmou o ministro.

Castro Mendes anunciou que irá agora reunir-se com a direção da Cornucópia. "Como sempre fizemos, vamos continuar a apoiá-los", concluiu.

  • Sem nunca mencionar Marcelo Rebelo de Sousa, o deputado do PS Porfírio Silva deixa críticas ao “extravasar” dos poderes constitucionais do Presidente no caso do fim do Teatro da Cornucópia. Marcelo dirigiu-se no sábado ao teatro e serviu de mediador numa conversa entre a direção da companhia e o ministro da Cultura