Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Governo português lamenta “atentados na Turquia, Alemanha e Suíça”

Para Ausgusto Santos Silva, é “um dia muito triste” porque "“mais uma vez foram ultrapassados limites de dignidade que se imaginava já consolidados na ordem internacional”

O Governo português lamentou esta segunda-feira os atentados ocorridos na Turquia, Alemanha e Suíça, e defendeu a necessidade de "uma resposta global para combater o terrorismo", disse à Lusa o ministro dos Negócios Estrangeiros.

"Quero lamentar, em nome do Governo, o atentado de que foi vítima o embaixador russo [na Turquia], lamentar também o tiroteio que ocorreu em Zurique [Suíça], num centro islâmico, e condenar também o que tem todo o ar de ser mais um bárbaro, cruel e sanguinário atentado terrorista em Berlim", afirmou, em declarações à Lusa, Augusto Santos Silva.

"Hoje é mais um dia em que devemos ter a certeza de que temos de encontrar uma resposta global para combater o terrorismo e as causas profundas que levam ao terrorismo", acrescentou.

Para o chefe da diplomacia portuguesa, hoje é "um dia muito triste" porque "mais uma vez foram ultrapassados limites de dignidade que se imaginava já consolidados na ordem internacional".

Sobre o homicídio do embaixador russo, Andrei Karlov, hoje na capital turca, Ancara, Santos Silva considerou tratar-se de "um ato absolutamente bárbaro, ainda por cima cometido por um agente policial".

"O Governo português condena o atentado e deseja exprimir as condolências e solidariedade às autoridades russas e à família do embaixador", afirmou.

O ministro referiu que os diplomatas são "profissionais cuja missão é procurar, através do diálogo e do compromisso, chegar a soluções pacíficas que fortaleçam o relacionamento entre os povos".

Questionado se este ataque poderá prejudicar o relacionamento entre Ancara e Moscovo, Santos Silva fez votos que as autoridades russas e as autoridades turcas "saibam ultrapassar este incidente", que considerou ser "muito perturbador" para as relações entre os dois países.

"Mas se, como parece, foi um atentado de uma pessoa isolada, ninguém espera responsabilizar autoridades por isso. Esperemos pela investigação que as autoridades turcas não deixarão de fazer. Sabemos que o Presidente turco já forneceu informações e deu explicações ao Presidente russo", comentou.

Sobre o incidente em Berlim, provocado hoje por um camião que entrou por um mercado de Natal e que provocou pelo menos nove mortos e 50 feridos, o ministro dos Negócios Estrangeiros afirmou que "crescem as suspeitas" de que se trate também de um atentado e "mais um ato absolutamente bárbaro".

"As pessoas que estão numa feira de natal, como há tantas nas cidades alemãs, estão a celebrar a quadra natalícia e a festejar os valores do natal e não merecem a nenhum título serem vítimas de ataques terroristas", considerou.

Também em Zurique, Suíça, um homem armado feriu pelo menos três pessoas e o autor do tiroteio ainda não foi capturado.

Os feridos foram encontrados numa rua onde se situa um centro islâmico, mas a polícia escusou-se a confirmar se o ataque visava esse local, perto da principal estação de Zurique.