Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Ninguém compra o imposto de Rio

rui duarte silva

Proposta de Rui Rio para criar novo imposto consignado ao pagamento da dívida pública gera reações negativas da esquerda à direita

Já não suporto que se fale em novos impostos.” Foi com este desabafo espontâneo que Duarte Pacheco, deputado do PSD, reagiu à pergunta do Expresso “concorda com a ideia de Rui Rio de baixar o IVA, o IRS e o IRC e criar, em contrapartida, um novo imposto consignado ao pagamento da dívida pública?”. E o desabafo prosseguiu. “Estou cansado. Parece que a única coisa que alguns políticos se lembram é de ir buscar dinheiro aos contribuintes”, acrescentou o social-democrata.

Confrontado com a proposta do antigo presidente da Câmara do Porto - e putativo candidato à liderança do PSD -, Duarte Pacheco contrapôs que em vez de ponderar novos impostos, aquilo de que o país preciso é de “um Estado eficiente, que baixe a carga fiscal e que estimule a economia”.

“Percebo que é difícil consegui-lo e que não tem sido possível. O Governo anterior aumentou impostos e este, em cima dos existentes, criou alguns novos e agravou outros. Mas chega!", diz. E sobre a possibilidade de reduzir o IVA, o IRS ou o IRC para abrir a porta a este eventual imposto consignado ao pagamento da dívida pública portuguesa, Duarte Pacheco questiona “a lógica de baixar uns impostos para aumentar outros”.

"Já com a questão da sobretaxa, o atual Governo agravou outros impostos para acabar com ela, como o dos combustíveis, porque precisa de mais receita”, critica, fechando assim a porta à possibilidade de criar novos encargos fiscais para os contribuintes.

Ao início da tarde desta terça-feira, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, também já tinha desvalorizado a proposta de Rui Rio. “A solução não é essa”, disse, insistindo na ideia de “reclamar a renegociação da dívida nos seus montantes, prazos e juros” e centrando o debate sobre a dívida no “problema de fundo que é o próprio serviço da dívida”, que levará o país a ter de pagar “oito mil milhões de euros num ano”.

Da parte do PS, o deputado João Galamba também desvalorizou a sugestão de Rui Rio e lançou um apelo ao antigo autarca do Porto para que seja possível avaliar a proposta em toda a sua dimensão. “O dr. Rui Rio tem primeiro de explicar aos portugueses que imposto é esse que vale oito mil milhões de euros para pagar o serviço da dívida”, pediu.

  • Rui Rio questiona se não seria bom criar um imposto para pagar a dívida pública

    Por contraposição, outros impostos baixariam em igual montante e, assim, não haveria aumento da carga fiscal, mas os portugueses saberiam que ao pagarem o imposto, aquela verba não seria para a saúde, educação e obras públicas, mas para pagar os juros decorrentes das dívidas contraídas há anos, considerou o ex-presidente da Câmara do Porto