Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Deputados do PSD terão liberdade de voto na eutanásia

José Carlos Carvalho

Sociais-democratas fazem colóquio sobre morte assistida, mas cada deputado votará por si

O grupo parlamentar do PSD vai organizar, em janeiro, um colóquio sobre a eutanásia, com especialistas de várias áreas, para que os deputados do partido possam fazer uma escolha informada quando a questão for a votos no Parlamento. Mas já é garantido que, no momento em que houver propostas legislativas para votar, os sociais-democratas terão liberdade de voto (como sempre têm tido nas chamadas questões de consciência), ainda que o partido possa ter uma posição oficial.

Para já, o PSD não tem posição definida sobre a questão da morte assistida, e foi o próprio Pedro Passos Coelho quem, no Conselho Nacional de terça-feira passada, propôs que o partido “tome a dianteira” e se prepare para um debate que está anunciado. O deputado Carlos Abreu Amorim vai coordenar o colóquio, que depois dos deputados poderá ter outras sessões para militantes e simpatizantes do PSD.

Em janeiro, a Assembleia da República vai debater uma petição que propõe que Portugal legisle sobre a eutanásia — mas as petições dos cidadãos são apenas discutidas, e não votadas. Porém, o BE e o PAN já anunciara que até ao verão apresentam iniciativas legislativas sobre o assunto. Ou seja, mais tarde ou mais cedo os deputados vão votar. “Queremos que esse seja um voto informado e esclarecido”, diz Abreu Amorim.