Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Centeno sobre CGD: “Não temos nenhuma razão para duvidar do acordo de princípio assinado pela Comissão Europeia"

STEPHANIE LECOCQ / EPA

À saída do Eurogrupo, o ministro das Finanças disse que “o profissionalismo da administração da CGD vai manter-se”, mas não adianta quando é que a equipa de Paulo Macedo ficará completa

Mário Centeno disse esta segunda-feira em Bruxelas que os colegas do Eurogrupo não lhe perguntaram pela situação na Caixa Geral de Depósito. “É um assunto doméstico”, disse no final do encontro, escusando-se a dar mais detalhes sobre o processo de escolha da nova equipa de administração.

Questionado sobre se teve garantias de Bruxelas de que a luz verde da Comissão Europeia à recapitalização se mantém, Centeno adianta que para já não tem indicação do contrário. “Não temos nenhuma razão para duvidar desse acordo de princípio que foi assinado pela Comissão Europeia. Obviamente que temos de estar todos muito comprometidos com esse processo, ele é muito importante e foi um enorme sucesso para a economia portuguesa”.

Quanto à nova escolha do Governo para executar o plano acordado com Bruxelas e desenhado por António Domingues, Centeno diz que “o profissionalismo da administração da Caixa vai manter-se”, acrescentando: “foi essa a base principal do acordo feito com a Comissão Europeia e nesse contexto o Dr. Paulo Macedo cumpre os requisitos que estabelecemos para todo este processo”.

Quanto à composição da nova equipa de administração, escusou-se a adiantar quando estará completa e será divulgada. “As questões que envolvem a Caixa estão a ser tratadas e a seu tempo serão divulgadas”.

E mais não disse sobre a CGD, escusando-se também a esclarecer por que motivo António Domingues se demitiu e se lhe fez promessas que terão levado o antigo Presidente do Conselho de Administração da Caixa a demitir-se. Questionado neste sentido, limitou-se a dizer que estava na reunião do Eurogrupo para falar de Orçamento.