Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

O que entusiasma o PCP? “Temos muito orgulho no património do partido”

Ana Baião

Congresso entusiasmou-se quando o tema foram as finanças e o património do partido.

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

"Assim se vê a força do PCP". Este slogan marcante do PCP ouviu-se pela primeira vez este sábado no Pavilhão de Desportos de Almada, onde decorre o XX Congresso do PCP, quando o tema foram as finanças do partido.

"Temos justificadas razões para ter muito orgulho no património do partido, é resultado do contributo de muitos militantes e também de doações ao partido", afirmou Manuela Pinto Ângelo, membro do Comité Central e responsável pela área financeira do PCP. "O nosso património é uma afirmação ímpar e distinguível, não resulta de favores", prosseguiu.

Tal como o Expresso noticiou, o PCP é o partido português com mais património imobiliário, cerca de 14 milhões de euros, o que representa metade do património de todos os partidos em Portugal. E faz negócios imobiliários para ter lucros. Em 2012, por exemplo, ganhou cerca de 600 mil euros em rendas e mais-valia de venda de imóveis.

Para o PCP, ter património significa "não estar dependente de terceiros", nem mesmo da subvenção pública, que representa apenas 10% das receitas. Entre 2012 e 2015, teve um saldo positivo de 1,2 milhões de euros.

Os comunistas têm orgulho nesse património mas não gostam das notícias que são feitas sobre ele. "Repudiamos o ataque desencadeado contra o PCP, deturpando e caluniando o partido e inserido no objetivo geral de limitar a atuação do PCP", insistiu ainda a mesma responsável, garantindo que "todos os espaços afetos a atividade partidária pagam IMI de acordo com a lei". Por ano, o partido paga cerca de 29 mil euros deste imposto, mas não revela quais são os imóveis em causa da sua lista que contém cerca de 300. Segundo a lei de financiamento, os partidos estão isentos de IMI em todos os imóveis destinados a atividade partidária.

  • PCP teve lucro de €1,2 milhões nos últimos 4 anos

    Comunistas conseguiram aguentar os anos de crise com as contas em positivo. Rendimentos do partido, quotizações dos militantes e contribuição dos deputados são a principal fonte de receita do PCP. As subvenções estatais são apenas a quarta base que sustenta a atividade do partido