Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo insiste que salários da Caixa deviam ser mais baixos

JOSÉ COELHO/ Lusa

O Presidente da República disse, este sábado, ao Público, que mantém a mesma posição que tinha quando comentou o tema em outubro, ou seja, que deve haver contenção por se tratar de um banco público

Em outubro, quando ainda António Domingues era presidente da CGD e foram revelados os salários da administração, Marcelo Rebelo de Sousa disse que os montantes deviam ser mais baixos. Agora que Domingues saiu e que a administração vai ser outra, liderada por Paulo Macedo, o Presidente da República voltou a insistir. Até porque o seu salário deverá ser igual, segundo noticia o jornal Público deste sábado.

E é precisamente numa declaração a este jornal que Marcelo diz: "Mantenho a mesma posição que tinha". Ou seja, a mesma que deu em outubro quando disse: "Se há fundos públicos, não é possível nem desejável pagar o que se pagaria se fosse um banco privado sem fundos públicos".

Na mesma declaração ao Público, o Presidente disse não ter ainda informação do Governo sobre quanto vai ganhar esta nova administração da Caixa.

Marcelo prometeu, contudo, fazer um comentário alongado aos nomes escolhidos para a administração da CGD que saiu depois de mais de um mês de polémica sobre a obrigatoriedade de terem de entregar publicamente as declarações de rendimentos e de património, algo que o Governo lhes terá dito que não teriam de fazer. Aliás, até se alterou a lei do gestor público por causa disso, mas ainda assim não foi suficiente.

Esse comentário à nova equipa do banco público deverá acontecer na segunda-feira, logo de manhãzinha, disse o Presidente este sábado durante uma vista a instituição de apoio a crianças com paralisia cerebral.

"Prometo reagir. Amanhã não tenho nenhum compromisso público, mas na segunda-feira, logo de manhãzinha, reajo. Ainda vai muito a tempo, não se passa nada entre hoje à noite e domingo", disse.

  • Marcelo favorável a salários mais baixos na CGD

    Os salários (dos futuros administradores) da Caixa voltam à baila. O PSD leva o tema a discussão no dia 6. BE e PCP admitem juntar-se. Presidente achou excessivo o montante pago a Domingues (mais de €30 mil por mês). E as Finanças? Vão pagar menos?