Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Certidão pedida por publicitário ligado ao PS em emails anónimos contra Rui Moreira

LUCÍLIA MONTEIRO

Câmara de Porto continua sem identificar e-mails anónimos contra Rui Moreira, mas desconfia de ligação a Vítor Tito. Publicitário nega

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Uma cópia da certidão da Selminho — Imobiliária Lda., propriedade de Rui Moreira e da família, que circula em e-mails anónimos enviados a vereadores e funcionários da Câmara Municipal do Porto, foi solicitada a 21 de junho, na Conservatória do Registo Comercial do Porto, pela BBZ — Publicidade e Marketing.

O administrador desta empresa, Vítor Tito, um publicitário que assinou vários contratos com a Câmara de Lisboa, no tempo de António Costa, e com o atual Governo, confirmou ao Expresso o pedido de certidão por “questões da empresa”. Nega, porém, qualquer tipo de envolvimento neste caso. “Esta pretensa ligação aos e-mails anónimos que circulam na Câmara é absurda”, refere Tito, recusando-se a prestar mais declarações sobre “algo que nada lhe diz respeito”.

Uma segunda vaga de centenas de e-mails foi enviada no passado dia 15 de novembro, para quase todos os funcionários da Câmara do Porto “várias vezes”, 73 dos quais para Rui Moreira. O e-mail, a que o Expresso teve acesso, enviado do endereço trapalhadasponto@gmail.com, acusa Moreira de ser “hipócrita” quando diz que é independente, dado que “a Câmara é um albergue espanhol dos próprios partidos políticos. Cabe lá tudo”. No longo e duro e-mail remetido pelo desconhecido Manuel Duarte, o autarca é atacado por “comprar o pior que os militantes dos partidos podem ter... dando-lhes lugares”.

Apesar do teor da missiva, o presidente da autarquia não vai participar a investida à Procuradoria-Geral da República. Em junho apresentou uma queixa por difamação contra “desconhecidos sem escrúpulos” por semearam dúvidas sobre o acordo feito entre o município do Porto e a Selminho. Este acordo visava alterar a classificação de um terreno na revisão do PDM, não edificável desde 2006, mas comprado em 2001 com capacidade de construção.

Moreira defendeu-se, na sua crónica no “Correio da Manhã” (“Os e-mails do Manéis”), lembrando que, como independente, tem o privilégio de não excluir ninguém pela cor política, convidando ainda o autor destas mensagens a sair do armário e a assumir-se.

Numa altura em que a distrital e a concelhia do PS já decidiram apoiar a recandidatura de Rui Moreira, o surgimento do nome de Vítor Tito, com vínculos contratuais aos socialistas desde 2008 a nível autárquico e governamental, está a causar “perplexidade” junto do executivo, até por a questão não ser consensual.

A vereadora e deputada, Carla Miranda, tem sido uma das vozes mais críticas quanto à renúncia do PS em ir a votos na segunda maior cidade do país, mas diz “que é de loucos associar o partido aos e-mails”.

A autarquia refere que “a mensagem é sempre enviada para o endereço de uma câmara municipal que não a do Porto e distribuído em BCC a milhares de munícipes, o que indicia a existência de poderosas máquinas que filtram os servidores e evitam SPAM”.

Na passada sexta-feira, a Procuradoria Geral da República confirmou ao Expresso a receção da queixa apresentada pelo presidente da Câmara do Porto, «a qual deu origem a um inquérito que se encontra em investigação».

Confirma, igualmente, a existência de outro inquérito, instaurado na sequência de uma denúncia anónima, que também se encontra em investigação.

Texto publicado originalmente na edição semanal de 26 de novembro