Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

BE aprova Orçamento que “é agora melhor do que há um mês”

Marcos Borga

Bloco saúda resultados das negociações na especialidade, confirma voto favorável ao OE2017, mas volta a colocar na agenda a necessidade de reestruturar a dívida pública

O Bloco de Esquerda vai votar a favor do Orçamento do Estado para 2017 e defende que a discussão entre os partidos da esquerda para a preparação do documento e para a sua alteração na especialidade permitiu que o diploma seja "agora melhor do que o apresentado há um mês" pelo Governo.

"Uma das responsabilidades de um órgão de soberania é mostrar para que serve. No final deste processo, podemos dizer que a Assembleia da República, ao contrário de outros Governos, mostrou para o que serve e não deixou para o Governo as suas responsabilidade", defendeu o líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, no discurso de encerramento do partido antes da votação final do OE.

Num discurso onde sublinhou o "diálogo e persistência do partido" nas negociações com o Governo, Pedro Filipe Soares invocou como méritos do BE áreas como o aumento extraordinário de pensões e das pensões mínimas, o aumento da "abrangência dos que ficam isentos do pagamento de sobretaxa em 2017", o aumento do abono de família, o combate à precariedade, os avanços na tarifa social da energia e da água ou o reforço da transparência na Caixa Geral de Depósitos.

Apesar do voto favorável ao Orçamento, o BE voltou, no entanto, a colocar na agenda a necessidade de discutir o problema da dívida pública. "O saldo primário do nosso país, de cinco mil milhões de euros, vale mais em percentagem do PIB do que o de qualquer outro país na UE. E vale 25 vezes o aumento extraordinário das pensões. Mas desaparece todo para pagar o serviço da divida pública", exemplificou o deputado, apelando a que se faça "um debate sério, profundo e com consequências no que toca à divida publica, quer em Portugal, quer na Europa".