Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Porto continua a deixar os espanhóis enamorados. Nem o rei escapou

José Coelho / Lusa

Ao discursar na câmara municipal, Felipe VI, de vista a Portugal, destacou a "impressionante" transformação e modernização da cidade, a "magnífica" reabilitação do centro histórico e, como não poderia deixar de ser, a amabilidade das suas gentes

O rei de Espanha, Felipe VI, disse esta segunda-feira que o Porto viveu, nos últimos anos, uma "impressionante" transformação e modernização, mantendo o respeito pela história e pela tradição, sendo uma cidade aberta, cosmopolita e, ao mesmo tempo, acolhedora.

Segundo o monarca, que discursava no salão nobre dos Paços do Concelho, um dos elementos que contribuiu para esta transformação foi "sem dúvida" a "pujança" da Universidade do Porto e do seu Parque de Ciência e Tecnologia, fazendo do Porto uma cidade "empreendedora por excelência" e contribuindo para a sua dinamização económica.

"É notável a enorme quantidade de centros de investigação públicos e privados com sede no Porto que têm acordos com as mais diversas instituições espanholas e internacionais", afirmou.

Além disso, Felipe VI de Espanha falou no "auge" do turismo que ajudou na "magnífica" reabilitação do centro histórico, na amabilidade dos portuenses e na "esplêndida" oferta vinícola e gastronómica.

"O Vinho do Porto, Património Mundial da UNESCO, completa 260 anos e é, sem dúvida, uma referência mundial", frisou.

O rei disse ainda que o rio Douro, "tesouro" que portugueses e espanhóis partilham, desempenha um "papel chave" na cooperação transfronteiriça que é crescente.

Depois da cerimónia solene, os reis de Espanha seguiram para a Fundação de Serralves para visitar a exposição do artista plástico catalão Joan Miró que, disse, "une os dois países".

"Alegra-nos que a obra de Joan Miró, com esta exposição e graças ao esforço de muitas pessoas, sirva para fortalecer os laços entre os dois países, assim como trazer o nosso olhar e sentimento mediterrânico", salientou.

O monarca terminou agradecendo a "hospitalidade" e manifestando "alegria" por visitar a cidade portuense na sua primeira visita de Estado, como rei, a Portugal.

"Desejamos, senhor presidente, os maiores êxitos para fomentar o espírito criativo desta querida cidade, tão cheia de história. Invicta no passado e, sem dúvida, vitoriosa no futuro", realçou.

À saída da câmara, os reis e o chefe de Estado português ouviram a atuação da Orquestra Juvenil da Bonjóia, resultante do projeto Música para Todos promovido pela Câmara do Porto, em parceria com o curso de música Silva Monteiro.

Antes de entrarem no carro, Felipe VI e Letizia, juntamente com Marcelo Rebelo de Sousa, cumprimentaram um grupo de cerca de 60 crianças de escolas do Porto.

Esta noite, Marcelo Rebelo de Sousa oferece um jantar a Felipe VI e Letizia no Paço dos Duques de Bragança, em Guimarães.

Na terça-feira, visitam o Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, almoçando no Palácio da Bolsa, com empresários portugueses e espanhóis, almoço oferecido pelo presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira.

À tarde, os reis de Espanha viajam para Lisboa, sendo recebidos nos Paços de Concelho.