Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

A fotografia que testemunha “um privilégio”

© 2016 Presidência da República Portuguesa

Marcelo Rebelo de Sousa condecorou Ferro Rodrigues com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou o Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade, segundo uma nota esta sexta-feira divulgada.

Na página da Presidência da República, pode ler-se que "o Presidente da República condecorou o Dr. Eduardo Ferro Rodrigues, Presidente da Assembleia da República, com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade".

"É um privilégio ter sido condecorado pelo Presidente da República", disse Eduardo Ferro Rodrigues à agência Lusa.

A condecoração foi entregue por Marcelo Rebelo de Sousa na quinta-feira, no Palácio de Belém, havendo uma fotografia na página da Presidência da República que testemunha o momento.

A Ordem da Liberdade destina-se a distinguir serviços relevantes prestados em defesa dos valores da Civilização, em prol da dignificação da Pessoa Humana e à causa da Liberdade.

O antigo líder do PS Ferro Rodrigues foi eleito em outubro de 2015 presidente da Assembleia da República, tendo chegado a segunda figura do Estado Português depois de ter ocupado vários cargos públicos.

Eleito deputado à Assembleia da República pela primeira vez em 1985, ministro nos Governos socialistas liderados por António Guterres entre 1995 e 2001 e secretário-geral do PS entre 2002 e 2004, Ferro Rodrigues foi entre junho de 2011 e setembro de 2014 vice-presidente da Assembleia da República.

Com a eleição de António Costa como líder socialista, em novembro de 2014, Ferro Rodrigues passou a presidir à bancada socialista.

Eduardo Luís Barreto Ferro Rodrigues nasceu em 1949 em Lisboa, é licenciado em Economia e Finanças. Adepto ferrenho do Sporting e ligado inicialmente do ponto de vista político à ala "sampaísta" do PS, colaborou de perto com o anterior Presidente da República, Jorge Sampaio, quando este desempenhou as funções de secretário-geral do partido.

Na sequência da demissão de António Guterres dos cargos de primeiro-ministro e de secretário-geral do PS em dezembro de 2001 Ferro Rodrigues foi eleito praticamente sem oposição interna para a liderança dos socialistas.

Um mês depois, no entanto, acabou por se demitir da liderança do PS, na sequência de uma decisão de Jorge Sampaio, quando este convidou o PSD - então liderado por Pedro Santana Lopes - a formar Governo, sem eleições, na sequência da saída de Durão Barroso do cargo de primeiro-ministro para ocupar a presidência da Comissão Europeia.

Depois de deixar a liderança do PS, Ferro Rodrigues assumiu em 2005 funções de representante permanente de Portugal junto da OCDE, em Paris, cargo que deixou em abril de 2011, para integrar a lista de deputados do PS.

Casado e com dois filhos, Ferro Rodrigues foi membro cofundador do Movimento da Esquerda Socialista (MES) e inscreveu-se no PS em 1986, depois de seis anos a integrar o movimento "Nova Esquerda", que apoiava criticamente os socialistas.