Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Passos Coelho recusou receber presidente da Caixa

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Em agosto, António Domingues quis falar com o líder do PSD. Passos Coelho disse-lhe que não achava oportuno

No dia 4 de agosto, Pedro Passos Coelho recebeu indicação de pessoa próxima do novo presidente da Caixa Geral de Depósitos de que António Domingues estava disponível para falar com ele, caso o líder do PSD entendesse ser de interesse. Passos transmitiu-lhe que, naquela altura, não entendia ser oportuno o contacto. A conversa não chegou a acontecer, tendo o líder da oposição assumido uma postura de forte contestação, quer ao salário do presidente da Caixa, quer às exigências que colocou para aceitar o lugar, quer à sua recusa em apresentar a declaração de rendimentos e património.

Quando Domingues tentou falar com o líder do PSD, já Marcelo Rebelo de Sousa tinha promulgado as alterações ao estatuto do gestor público feitas à medida para a nova administração da Caixa poder ganhar ao nível da banca privada. Mas mal se soube dos valores em causa, o PSD protestou e apresentou um projeto de lei para impor um teto aos vencimentos destes gestores. Paralelamente, Passos Coelho desafiou o presidente da CGD e o primeiro-ministro a esclarecerem como foi possível António Domingues ter delineado o plano de reestruturação do banco antes de tomar posse. O líder social-democrata acusou mesmo o gestor de ter tido acesso a informação privilegiada.

Presidente da CGD diz não perceber a política

Ao contrário de Passos Coelho, Assunção Cristas terá conversado com Domingues. O presidente da Caixa também manifestou interesse em falar-lhe e informações recolhidas pelo Expresso dão como certo que a conversa aconteceu. A líder do CDS, que contestou violentamente as suas posições, não quis confirmar.

Certo é que o novo presidente da CGD – que tem confessado em privado não perceber o mundo da política – usou a mesma tática para todas as cúpulas político-partidárias. Mesmo o encontro com o Presidente da República decorreu depois de ter chegado a Belém indicação de que António Domingues gostaria de falar com Marcelo. O PR não tardou a chamá-lo.

Texto publicado originalmente na edição semanal de 12 de novembro