Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Passos aconselha a que não se deite foguetes antes de tempo

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Líder do PSD saudou os números do INE, que apontam para o facto de o país ter crescido acima das previsões, mas insiste que Portugal está “a crescer por razões diversas daquelas que o Governo previu”

O líder do PSD reconheceu esta quarta-feira que os dados que apontam para um crescimento da economia superior ao esperado no terceiro trimestre são bons indicadores, mas sublinhou que não se deve "deitar foguetes antes do tempo".

"Não podemos senão mostrar satisfação quando as coisas correm melhor do que aquilo que se esperava", afirmou o presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho, em declarações aos jornalistas no final de uma visita à Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental, em Paço de Arcos, no concelho de Oeiras.

Segundo a estimativa rápida do organismo de estatística português divulgada na terça-feira, a economia cresceu 1,6% no terceiro trimestre do ano em termos homólogos e 0,8% face ao trimestre anterior, acima das previsões dos analistas.

Para o INE, "o crescimento mais intenso do PIB [Produto Interno Bruto] refletiu principalmente o aumento do contributo da procura externa líquida, verificando-se uma aceleração mais expressiva das exportações de bens e serviços" face à das importações de bens e serviços, além do contributo da procura interna para a variação homóloga do PIB no terceiro trimestre, em resultado da "aceleração do consumo privado".

Notando que os resultados alcançados devem-se no essencial a um desempenho melhor das exportações, por comparação com menos importações, Passos Coelho admitiu que isso "é bom" porque "o país só pode crescer sustentadamente para futuro se o fizer alavancado pelas exportações e não baseado no consumo interno, como o Governo defendia".

"Estes números mostram que a economia no terceiro trimestre andou bastante melhor daquilo que era a expectativa e daquilo que resultaria da estratégia que o Governo decidiu", disse, insistindo na nota de que Portugal está "a crescer por razões diversas daquelas que o Governo previu".

Passos Coelho aconselhou, contudo, que não se deve "deitar foguetes antes de tempo", defendendo que há que olhar com "um bocadinho de cuidado para ver o que é que está a fazer a economia crescer", para aferir se é sustentável ou não.

O líder do PSD voltou ainda a sublinhar a necessidade existir investimento, porque para continuar a crescer isso é indispensável. "Sem esse investimento o nosso crescimento pode ocasionalmente correr melhor em função, das decisões que tomamos, mas não é sustentado, pode não ficar para durar", salientou.