Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Carlos Moedas: “Estamos a ver a luz ao fim do túnel”

O comissário português congratula-se com a decisão de Bruxelas não suspender os fundos europeus e a aprovação do Orçamento do Estado para 2017

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Redatora Principal

Carlos Moedas afirmou esta tarde, em Bruxelas, que pela primeira vez a Comissão Europeia reconhece que Portugal está no bom caminho para sair do procedimento de défice excessivo. "Estamos a ver a luz ao fim do túnel", disse.

Falando aos jornalistas depois da conferência de imprensa dos comissários do pelouro, Valdis Dombrovski e Pierre Moscovici, Moedas lembrou que desde 2009 Portugal não cumpre as regras, pelo que a aprovação do Orçamento para 2017 e a consideração de que ele "está dentro das regras" é "uma nota importante".

O comissário português desvalorizou todavia os os riscos de incumprimento assinalados, considerando que eles "era mínimos" e que a "função do ministro é precisamente controlá-los".

Moedas também disse que a decisão de evitar a suspensão de fundos estruturais, uma ameaça que pairava sobre Portugal, vai ter um efeito positivo no investimento.

Questionado pelos jornalistas, o comissário afirmou que a posição do Parlamento Europeu ajudou à decisão, que foi tomada depois de um "debate intenso mas rápido" e na qual foi preponderante o papel do presidente da Comissão. "Esta é a prova de que a Europa é capaz de decidir politicamente", disse ainda Moedas.