Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Morreu Miguel Veiga, fundador do PSD

Rui Duarte Silva

Cofundador do Partido Popular Democrático (hoje PSD), o conhecido advogado portuense faleceu ao fim desta manhã, aos 80 anos

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Miguel Luís Kolback da Veiga faleceu ao final desta manhã, na sua casa na Foz, no Porto, após ter estado hospitalizado, na passada semana, com uma pneumonia. Tinha 80 anos.

O conhecido advogado nasceu no Porto, a 30 de junho de 1936, Licenciou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e foi um dos fundadores do Partido Popular Democrático (hoje PSD) em 1974, ao lado de Francisco Sá Carneiro, Magalhães Mora e Francisco Pinto Balsemão, entre outros.

A cidadania sempre foi a principal das causas para este advogado, laico e republicano que contra a indicação do seu próprio partido apoiou a primeira candidatura de Mário Soares à Presidência da República. Veiga foi ainda um dos grandes dinamizadores da candidatura de Rui Rio à Câmara do Porto, pelo PSD, bem como de Rui Moreira, como indepentente, há três anos.

Miguel Veiga (de camisola lilás) à conversa com Francisco Pinto Balsemão, durante a reunião do júri do Prémio Pessoa 2012, no Palácio de Seteais, em Sintra

Miguel Veiga (de camisola lilás) à conversa com Francisco Pinto Balsemão, durante a reunião do júri do Prémio Pessoa 2012, no Palácio de Seteais, em Sintra

Tiago Miranda

Membro do júri do Prémio Pessoa desde a sua fundação, em 1987, foi membro do conselho de administração da Impresa, empresa que detém o Expresso e a Visão, e autor de inúmeros textos de índole literal e cultural. Publicou vários trabalhos forenses e jurídicos, tendo sido sempre uma voz de referência em diferentes espaços públicos de discussão política e cultural.

Agraciado com a Ordem da Liberdade (Grande Oficial), definia-se a sí próprio como “heterodoxo, sujeito de razões e emoções, de convicções, de sentidos, de valores ético-sociais, pautado por referências normativas, embora desamparado de deuses e avesso à gramáticas de obediência e às cartilhas dogmáticas”.

Em 2015, Miguel Veiga recebeu do autarca Rui Moreira a Medalha de Honra da Cidade, a mais alta distinção do Porto. Em conversa com o presidente da Câmara, revelou-lhe que quando morresse não queria ir para uma Igreja, tendo manifestado a vontade que o seu corpo fosse velado no Palacete Visconde de Balsemão, na Praça Carlos Alberto, onde estará a partir do fim da tarde desta segunda-feira.

Rui Moreira está a contactar as diversas forças políticas da Câmara do Porto antes de decretar luto municipal.

[Texto atualizado às 13h37]