Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

António Costa e a polémica da CGD: “Ninguém está acima da lei”

luís barra

O primeiro-ministro foi este sábado questionado sobre o facto de os administradores do banco estatal não terem ainda apresentado ao Tribunal Constitucional as declarações de património. “Cada um tem o dever de cumprir as suas obrigações”, afirmou António Costa

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

“Ao Governo compete, enquanto representante do acionista Estado, dizer o que quer para a Caixa Geral de Depósitos (CGD). Depois cada um de nós tem o dever de cumprir as suas obrigações. Ninguém está acima da lei”. Foi esta a resposta do primeiro-ministro, António Costa, às perguntas dos jornalistas sobre o facto de a nova administração da CGD não ter ainda entregue as suas declarações de património e rendimento ao Tribunal Constitucional (TC).

António Costa procurou desresponsabilizar-se da polémica que surgiu pela recusa da administração de António Domingues de revelar publicamente o seu património. “Não sou porta-voz nem advogado dos administradores da Caixa. Nem me substituo ao Tribunal Constitucional”, afirmou o primeiro-ministro este sábado, em declarações à imprensa em Lisboa. Sobre as declarações de património que os gestores da CGD têm de entregar ao TC António Costa foi categórico: “não me respeitam”.

O chefe do Governo sublinhou que a respeito da questão das declarações de património (impostas aos gestores públicos) “temos de respeitar as competências de cada um”. António Costa notou que “os administradores da Caixa têm de cumprir as suas obrigações”. E acrescentou: “o TC é a entidade competente para dizer quais são os deveres”.

O primeiro-ministro garantiu que o Executivo não tem nenhum plano B para a administração da CGD, desvalorizando a polémica em torno das declarações de património. “O que é essencial é assegurarmos a capitalização da Caixa”, frisou.

“A minha missão é assegurar que temos uma Caixa forte”, disse ainda António Costa, que pretende que o banco tenha bons resultados e “uma gestão profissional”.