Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Passos acusa “Governo das esquerdas” de não ter estratégia alternativa

Marcos Borga

Durante a sua intervenção no Parlamento, o líder do PSD anunciou o voto contra o Orçamento proposto pelo Governo e acusou o executivo de não conseguir colocar o país a crescer sem precisar de “cortes permanentes” ou medidas extraordinárias

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, anunciou que o partido irá votar contra na generalidade a proposta do Governo de Orçamento do Estado (OE) para 2017.

"Convém no final deste debate começar pelo princípio, indo direto ao resultado que desejávamos que fosse a votação", disse Pedro Passos Coelho esta sexta-feira, no no encerramento do debate na generalidade da proposta de OE para 2017, anunciando que o partido "irá votar contra".

Na sua intervenção, o antigo primeiro-ministro acusou o "Governo das esquerdas" de não ter uma estratégia alternativa, sublinhando que não consegue colocar o país a crescer sem precisar de "cortes permanentes" ou medidas extraordinárias.

"Onde está a estratégia alternativa? Não há", disse o presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho, numa intervenção na sessão de encerramento do debate na generalidade da proposta do Governo para o Orçamento do Estado para 2017.

Sublinhando que esse é o elemento mais relevante da discussão, Passos Coelho lamentou que, depois do país ter sido colocado por um executivo socialista na necessidade de fazer um resgate externo, de passar por um programa de ajustamento "doloroso", o "Governo das esquerdas" apenas consiga dizer que "não tem uma estratégia para pôr a economia a crescer sem precisar de cortes permanentes, sem precisar de medidas extraordinárias".

"O mais que o Governo consegue dizer é que não consegue pôr país a crescer", afirmou.