Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Guterres deseja que Brasil seja “um fator de entendimento entre as grandes potências”

FERNANDO BIZERRA JR/EPA

O recém eleito secretário-geral da ONU recusou responder se no encontro tido com o Presidente Temer se falou da pretensão brasileira para ocupar um lugar no Conselho de Segurança das Nações Unidas

O futuro secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse esta segunda-feira à agência Lusa que espera que o Brasil possa ser "um fator de entendimento entre as grandes potências", sobre as quais paira "desconfiança".

"É fundamental que o Brasil possa ter um papel muito importante nas relações internacionais como país que é do grupo dos grandes países dos chamados BRICS [Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul]", disse António Guterres, no final de um encontro com o Presidente brasileiro, Michel Temer, no Palácio do Planalto, em Brasília.

O antigo primeiro-ministro português disse esperar que o Brasil "possa, ao mesmo tempo, ser um fator de entendimento entre aquelas grandes potências que hoje têm muitas formas de desconfiança a minar as suas relações", frisando que importa que "países como Brasil possam ajudar a favorecer o entendimento entre elas".

Sobre o encontro com Temer, Guterres disse que decorreu "naturalmente com o maior interesse".

António Guterres foi ainda questionado sobre se no encontro com Michel Temer falaram das pretensões brasileiras para ocupar um lugar no Conselho de Segurança da ONU, mas não respondeu.

O encontro decorreu antes da XI Conferência dos chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), na qual Guterres vai participar, com uma intervenção na sessão solene de abertura.

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.