Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Nuno Félix: “Nunca escondi que não era licenciado”

Nuno Félix, o chefe de gabinete do secretário de Estado da Juventude e do Desporto que se demitiu na sexta-feira por causa de uma falsa licenciatura, garante ao Expresso que nunca mentiu à sua chefia.

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

Nuno Félix, chefe de gabinete do secretário de Estado do Desporto, que se demitiu esta sexta-feira, afirma ao Expresso que nunca escondeu da tutela que não tinha completado a sua licenciatura. “Nunca escondi”, disse, referindo-se tanto à sua tutela direta, João Wengorovius Meneses, como ao ministro da educação, Tiago Brandão Rodrigues, que na sexta-feira garantiu em comunicado não ter sabido do despacho de nomeação de Nuno Félix, datado de fevereiro deste ano, assinado pelo anterior secretário de Estado João Wengorovius, que dava conta dos dois cursos superiores de Nuno Félix - um em Ciências da Comunicação, na Uinversidade Nova de Lisboa, e outro em Direito, na Universidade Autónoma de Lisboa.

Em abril, Wengorovius deixou o governo em rutura com o seu ministro, Tiago Brandão Rodrigues, titular da Educação. João Paulo Rebelo, deputado do PS, foi escolhido para novo secretário de Estado da Juventude, reconduzindo Nuno Félix como chefe de gabinete. Neste segundo despacho de nomeação, datado de junho, o documento foi corrigido: Félix deixou de ter duas licenciaturas e passou a ter duas “frequências”.

O Observador noticiou que, ao saber deste facto, o anterior secretário de Estado comunicou ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, que pretendia exonerar Nuno Félix de chefe de gabinete, mas que o ministro o impediu de o fazer, transmitindo-lhe a ordem por email. Terá sido a gota de água para Wengorovius, que se demitiu em Abril. Na noite da passada sexta-feira, o deputado do CDS João Almeida pediu a demissão do ministro da Educação, por alegadamente ter ocultado as falsas licenciaturas do chefe de gabinete do secretário de Estado da Juventude e Desporto.