Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

BE quer salários de gestores públicos limitados ao ordenado do primeiro-ministro

Luís Barra

Oo partido vai apresentar no parlamento uma iniciativa nesse sentido

O líder parlamentar do Bloco de Esquerda (BE), Pedro Filipe Soares, anunciou que o partido vai apresentar no parlamento uma iniciativa para limitar os salários dos gestores públicos ao ordenado do primeiro-ministro.

"Propomos que os salários dos gestores públicos, incluindo da Caixa Geral de Depósitos, não sejam superiores ao do primeiro-ministro, o cargo executivo mais importante do país", disse Pedro Filipe Soares esta tarde.

Nesse sentido, o BE quer eliminar as exceções criadas e dessa forma responder a vencimentos "inaceitáveis e incompreensíveis", apresentando a sua visão sobre a matéria na discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2017.

"Apresentaremos uma proposta justa, decente, razoável e adequada para acabar com esta vergonha nacional", continuou o líder da bancada do BE.

Pedro Filipe Soares elencou ainda alguns gestores públicos e não só - Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Ricardo Salgado - para defender que pagamentos "luxuosos" não são garantia de uma boa gestão.

"Não aceitamos que se faça uma chantagem sobre o próprio Estado" sobre os salários, disse ainda.

O bloquista anunciou a intenção do partido em Vila Real, na conferência de imprensa que fechou dois dias de jornadas parlamentares do partido tidas em Trás-os-Montes.