Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo: "Há um mundo de projetos" portugueses para Cuba "de milhões de euros"

ERNESTO MASTRASCUSA/EPA

Marcelo Rebelo de Sousa anunciou que empresas portuguesas vão investir "milhões de euros" em Cuba e garantiu que Estado cubano tem interesse em projetos portugueses

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta quarta-feira que "há um mundo de projetos possíveis" de empresas portuguesas para Cuba, no turismo, construção e energias renováveis, que somam "milhões de euros" e que o Estado cubano acompanha "com interesse". Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas no centro de Havana, no primeiro dia da sua visita de Estado a Cuba.

"Logo à chegada [a Havana], o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros trocou impressões comigo e eu com ele acerca de dossiês económicos que estão pendentes. E nós sabemos o interesse com que o Estado cubano está a acompanhar projetos de portugueses", declarou.

Sem querer nomear empresas, o chefe de Estado adiantou que existe um projeto para a Zona de Desenvolvimento Especial de Mariel "que é mais avançado, de materiais de construção e construção", e outros nas áreas do turismo e das energias renováveis.

Quanto ao valor dos projetos, sem querer "entrar em pormenor", disse que "são montantes apreciáveis" e que estão "ao nível, já tudo somado, de milhões de euros". No seu entender, "agora há uma oportunidade porque há uma abertura maior e há condições melhores para se aceitar e para se acolher esse investimento".

Segundo o Presidente da República, o seu encontro desta tarde com o seu homólogo cubano, Raúl Castro, "vai culminar estes contactos económicos e culturais de uma perspetiva política".

Marcelo Rebelo de Sousa referiu que "a diplomacia económica é feita em conjunto" por "Governo, Presidente, e naturalmente a embaixada, que está a trabalhar nisso há muito tempo, e a AICEP (Agência para o Investimento e o Comércio Externo de Portugal)".

O Presidente da República encerra esta quarta-feira em Havana um Fórum Empresarial Bilateral Portugal-Cuba, organizado pela AICEP, que antecede a 34.ª Feira Internacional de Havana (FIHAV), que pela primeira vez terá um pavilhão dedicado em exclusivo a Portugal.

Questionado por um jornalista cubano sobre a posição de Portugal nas Nações Unidas em relação ao embargo dos Estados Unidos a Cuba, o Presidente da República reiterou que "é sempre a mesma". "O parlamento português votou por unanimidade que não aceita o bloqueio económico a Cuba. É uma posição estratégica, constante, de Portugal, com governos de esquerda, de direita, diferentes presidentes. É uma posição constante portuguesa", frisou.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou que as relações entre Portugal e Cuba "estão neste momento num pé muito bom" e que "politicamente há perspetivas muito interessantes".

"Há um interesse cada vez maior de Cuba em relação ao posicionamento da União Europeia, à posição que Portugal tem no quadro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e até, embora nós saibamos que é sobretudo o mérito do próprio que importa, à posição chave do novo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres", acrescentou.

  • O português que faz colchões em Cuba: “Aqui não se poupa há muito tempo”

    No dia em que Marcelo inicia uma visita de Estado inédita a Cuba, o Expresso recupera um artigo que foi publicado em março por ocasião da visita histórica de Obama à ilha comunista. Luís Morim, gerente de uma empresa hispano-cubana que faz almofadas e colchões, estava “apreensivo” quando foi destacado para Havana, mas confessa: “Gostaria de manter-me por cá”. Agora, “Cuba só tem que melhorar”

  • A classe média é o motor da mudança em Cuba

    Em março, quando o Presidente Obama visitou Cuba e os Rolling Stones tocaram em Havana, o Expresso conversou com Marta Rodrigues e António Almeida. Ela estava prestes a terminar o contrato de trabalho, enquanto António Almeida está em Cuba desde 1999 e é ali que se sente em casa. Republicamos o artigo no dia em que Marcelo Rebelo de Sousa aterrou em Havana

  • “É muito importante pensar no que Cuba não pode perder”

    Entrevistado pelo Expresso em março, na véspera do concerto dos Stones em Havana, Luís Faro Ramos, embaixador de Portugal falou da visita de Obama, das mudanças que estão a acontecer no país e das relações de Portugal com Cuba. Republicamos essa conversa no dia em que Marcelo Rebelo de Sousa inicia uma visita oficial à ilha das Caraíbas