Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Vasco Cordeiro: resultados são “grande vitória do PS”

  • 333

Vasco Cordeiro, presidente do PS-Açores, este domingo depois da vitórias nas eleições regionais

MÁRIO CRUZ / LUSA

Líder do PS-Açores destacou o facto de o PS ser o único partido com representação parlamentar de todas as ilhas. Conheça as reações da oposição

O presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, que deverá ser de novo nomeado presidente do Governo Regional, disse hoje que os resultados das eleições legislativas regionais, após quatro anos “exigentes”, são uma grande vitória do partido.

“Estes resultados eleitorais são, nem mais nem menos, do que uma grande vitória do PS. O facto é que ao fim de quatro anos, particularmente desafiantes, exigentes, o PS mantém a representação em todas as ilhas na nossa região, é, aliás, o único partido que tem representação em todas as ilhas com deputados eleitos”, afirmou Vasco Cordeiro.

Vasco Cordeiro discursava no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, onde foi efusivamente aplaudido pelos presentes quando se dirigiu ao salão nobre.

O líder dos socialistas nos Açores realçou que o PS mantém “uma maioria estável que lhe permite cumprir os objetivos que definiu para esta eleição, com estabilidade, cumprir as propostas e as ideias, as soluções” apresentadas à população.

“Desse ponto de vista, esse objetivo está plenamente alcançado e plenamente cumprido”, adiantou, declarando ter “uma grande satisfação” com os resultados, pois “mais do que significarem o subscrever de uma proposta substantiva, eles atestam a confiança maioritária das açorianas e dos açorianos na forma como o PS tem governado a região, exercido o poder, como um garante de governabilidade, de estabilidade, mas também como um garante do diálogo com todos os outros partidos”.

O líder do PSD/Açores, por seu lado, assumiu a derrota eleitoral, destacando que o PSD irá continuar a defender os seus ideais no parlamento e na sociedade.

“Em democracia quem elege mais deputados vence. O PS foi o partido mais votado no ato eleitoral e é o partido vencedor destas eleições”, disse Duarte Freitas, na sede do PSD/Açores em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, numa declaração sem direito a perguntas dos jornalistas proferida às 21:20 locais (mais uma hora em Lisboa).

Na sua declaração, Duarte Freitas nunca se referiu a uma eventual demissão da liderança do partido e durante a campanha eleitoral referiu sempre que qualquer que fosse o resultado do sufrágio, não se afastaria do cargo.

O PSD, o maior partido na oposição no arquipélago, conquistou 19 dos 57 mandatos para o parlamento regional, quando no sufrágio de 2012 elegeu 20 deputados.

Duarte Freitas, que disse já ter falado telefonicamente com o líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, referiu que “hoje a palavra é daqueles que votaram”, acrescentando que o PSD estará no parlamento, no partido, na sociedade civil e ilha a ilha a “defender uma plataforma política e social que combata o desemprego e melhore a educação e a saúde”.

O líder do CDS-PP/Açores, Artur Lima, por seu lado, disse estar satisfeito com o aumento de votos e deputados nas eleições regionais, apesar de não ter conseguido retirar a maioria absoluta ao PS.

“Não conseguimos evitar a maioria absoluta do Partido Socialista, mas demos um contributo muito grande para que não houvesse dois terços de maioria absoluta do Partido Socialista e isso seria um perigo para a democracia”, frisou.

Na sede do BE, o ambiente foi bem diferente. A coordenadora do BE/Açores, Zuraida Soares, congratulou-se por a sua força política ter conquistado o seu “melhor resultado de sempre” nas legislativas regionais, mas manifestou preocupação com a abstenção registada.

“Com a voz desta deputada e do novo deputado eleito faremos melhor ainda o trabalho de luta pela melhoria de condições desta região, por um modelo de desenvolvimento que traga progresso e prosperidade aos Açores, de luta por aqueles que não têm voz e continuam a ter confiança em nós”, declarou Zuraida Soares.

Já o coordenador da CDU/Açores, Aníbal Pires, por seu lado, admitiu que o resultado da coligação nas eleições regionais “ficou aquém das expetativas”, mas sublinhou o facto de ter sido possível manter a representação parlamentar.

“Relativamente aos resultados, ficámos aquém de atingir o nosso objetivo eleitoral, mas garantimos não só a nossa representação parlamentar como nos perspetiva um trabalho importante”, afirmou Aníbal Pires, que não conseguiu a sua reeleição como deputado no parlamento açoriano.

Numa declaração na sede da CDU na cidade de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, o coordenador regional frisou, no entanto, que a coligação “conseguiu aumentar” o seu “score eleitoral num conjunto alargado de ilhas”.