Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Satisfação na sede do PS, silêncio e precaução no PSD e CDS

  • 333

Reações à projeção sobre os resultados eleitorais nos Açores não se fizeram esperar. Apuramento dos votos ainda decorre

O ambiente na sede do PS/Açores era hoje de satisfação face à hipótese de repetição da maioria absoluta nas eleições regionais, em contraste com o silêncio e precaução vividos nas sedes do PSD e CDS-PP.

O Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, onde estão reunidos os socialistas, ouviram-se aplausos assim que a RTP lançou a projeção à boca das urnas realizada hoje pela Universidade Católica, a qual indica que o PS repete a maioria absoluta nas regionais dos Açores, obtendo entre 50 a 55% dos votos.

O vice-presidente do PS/Açores, André Bradford, salientou que os dados “parecem indicar que os açorianos, por maioria, fizeram uma avaliação positiva” da governação socialista nos últimos quatro anos, situação que “obviamente” satisfaz o partido.

Salientando a forma “ordeira” como decorreu o processo eleitoral, o que valoriza a autonomia, o dirigente socialista lamentou contudo que “os níveis de abstenção previstos se mantenham elevados”.

“A democracia será tanto mais forte quanto mais participada for”, declarou, considerando que “além de uma abstenção técnica crónica e muito elevada, há quatro anos, por exemplo, houve um aumento de 17 mil votantes, o que significa que qualquer análise a esta matéria tem de ser responsável, tecnicamente fundamentada, e não populista e pouco refletida”.

Ao local, o líder do PS/Açores e recandidato à presidência do Governo Regional, Vasco Cordeiro, chegou pelas 17:30 (mais uma hora em Lisboa), encontrando-se numa zona reservada, com outros dirigentes socialistas, no terceiro andar do edifício, segundo fonte do partido.

Na sede do PSD/Açores em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, o ambiente era calmo e silencioso às 19:00 locais (mais uma hora em Lisboa) ainda com poucos militantes, estando prevista a chegada do líder regional e candidato à presidência do Governo Regional perto das 20:00 locais.

Numa primeira reação à projeção da Universidade Católica, que dá a vitória ao PS, o secretário-geral do PSD/Açores, Ricardo Pacheco, lamentou o valor previsto da abstenção.

Quanto ao resultado do PSD, foi cauteloso, dizendo apenas: “teremos de aguardar pelo final”.

Na sede do CDS-PP/Açores, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, o líder regional centrista, Artur Lima, chegou por volta das 18:45 locais (mais uma em Lisboa), mas eram poucos os apoiantes, que pelas 19:00 aguardavam pelos resultados eleitorais em silêncio.

Em reação à mesma projeção da Universidade Católica, Félix Rodrigues, vice-presidente regional do partido, salientou a possibilidade de o partido ter mais votos do que nas últimas eleições regionais.

“Tudo vai depender da distribuição do número de votos pelas diversas ilhas. Nada indica que não mantenhamos os três deputados da última legislatura. Parece, de acordo com a sondagem, que há aqui uma ligeira subida relativamente às últimas eleições”, salientou, acrescentando que o partido respeita a escolha dos eleitores.