Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Jerónimo de Sousa: “Valeu a pena dialogar”

  • 333

José Carlos Carvalho

Secretário-geral do PCP congratulou-se com aumentos das pensões - que ainda não se conhecem ao pormenor

O secretário-geral do PCP afirmou hoje que "valeu a pena insistir" e "dialogar" com o PS com vista à reposição de rendimentos e direitos, designadamente aos pensionistas, e o primeiro-ministro concordou com a necessidade de reduzir os custos energéticos.

Jerónimo de Sousa sublinhou que os comunistas tinham sido os únicos a propor um aumento de 10 euros em todas as pensões na discussão do Orçamento do Estado para 2016 e congratulou-se com o apoio agora "alargado" ao aumento real daquelas retribuições, no debate parlamentar quinzenal, enquanto António Costa admitiu também a necessidade de desbloquear a contratação coletiva.

"A nossa persistência deu frutos e é hoje alargada. A discussão hoje já não é se é ou não possível, mas sim de quanto será o aumento e em que condições será feito. Valeu a pena insistir, valeu a pena dialogar", disse o líder comunista.

O chefe do executivo socialista anuiu, mas alertou para a "dimensão do fosso que se foi abrindo" pelo anterior Governo PSD/CDS-PP em termos de perda de direitos e rendimentos dos trabalhadores.

"Tem razão, temos de andar, simultaneamente, na capacidade de ir respondendo às expectativas e necessidades efetivas da população de ver recuperado rendimento perdido. Foram anos muito duros. É uma tarefa difícil, tal a dimensão do fosso que se foi abrindo, mas temos vindo a fazer um percurso, no salário mínimo, nos vencimentos, nos pensionistas? Foi um caminho iniciado e que não poder ser interrompido e, pelo contrário, tem de ser continuado", declarou, no dia previsto para a entrega da proposta de Orçamento do Estado para 2017 (OE2017).