Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Défice: 2,5% este ano, até 1,8% em 2017

  • 333

Cenário macroeconómico do Orçamento de 2017 ajusta em alta valor do défice que estava previsto no Programa de Estabilidade

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

O cenário macroeconómico que serviu de base para a elaboração do Orçamento do Estado (OE) para 2017 prevê um défice que, no limite, ficará nos 1,8%. Um valor mais alto do que os 1,4% que estavam inscritos no Programa de Estabilidade, mas que já incorpora a revisão do cenário relativa a este ano. O OE de 2016 previa um défice de 2,2%, mas esse valor foi revisto em alta para 2,5%. Embora isto represente uma derrapagem face à previsão inicial, fica abaixo do limite de 3% inscrito no Pacto Orçamental e em linha com a meta imposta na primavera pela Comissão Europeia, em relação às contas deste ano.

O número do défice foi avançado por fonte partidária no seguimento das reuniões que estão a decorrer no Parlamento entre o Governo e os vários partidos sobre Orçamento do Estado. A estimativa de défice para o ano que vem aponta para um valor entre "1,7% [e] 1,8%", não tendo sido esclarecido se a dúvida sobre o valor exato terá a ver com o facto de o documento ainda não estar definitivamente fechado, referiu a mesma fonte.

Este dado permite um quadro mais completo sobre o cenário macroeconómico de 2017. Esta manhã, o Governo comunicou aos partidos que o crescimento previsto para o próximo ano é de 1,5% e a taxa de desemprego cifra-se nos 10,4%.

Na semana passada, tal como o Expresso noticiou, o Governo tinha comunicado ao PS que o PIB para 2017 iria rondar os 1,6% enquanto o défice ficaria nos 1,7%, uma vez que este ano poderia fechar com 2,4%.