Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Expresso escolhido para representar Portugal no Global Editors Network

  • 333

O Editors Lab decorreu durante o evento de programação "Pixels Camp", na LX Factory, em Alcântara, nos dias 7 e 8 de outubro

Global Editors Network

Expresso foi o vencedor do Editors Lab em Lisboa A equipa vencedora irá representar Portugal no evento anual do Global Editors Network em junho de 2017, em Viena, com um protótipo de uma ferramenta que visa detetar contradições no discurso dos políticos e partidos sobre um mesmo tema ao longo do tempo

O Expresso foi o vencedor do Editors Lab, em Lisboa, um evento organizado pelo Global Editors Network (GEN), o jornal "Público" e a Associação Portuguesa de Imprensa com o apoio do Google News Lab, e que terminou este sábado, na LX Factory, durante o evento de programação "Pixels Camp".

Durante dois dias, diferentes equipas tinham de conceber, desenvolver e apresentar um protótipo de uma ferramenta com um objetivo: criar novas formas de responsabilizar os poderes políticos em relação às suas ações e promessas.

O Expresso venceu com um protótipo de uma ferramenta para jornalistas, que funciona em tempo real, e que permite encontrar contradições no discurso dos partidos sobre um mesmo assunto ao longo do tempo. O protótipo da ferramenta, chamada "Tenho Dito.", baseia-se em duas fontes de dados: as transcrições dos debates parlamentares desde 1976 disponíveis a partir do site da Assembleia da República e o arquivo de notícias do Expresso, Visão e SIC, pertencentes ao grupo Impresa.

A equipa constituída por Inês Bravo, UX designer na Impresa, Raquel Albuquerque, jornalista do Expresso, e Tiago Simão, head of development da Impresa, irá representar Portugal no Global Editors Network (GEN) Summit em junho de 2017 em Viena, Áustria.

O júri atribuiu também uma menção honrosa à equipa do jornal "Público", constituída por Pedro Guerreiro, jornalista, Dinis Correia, programador, e Andrea Espadinha, designer. A equipa criou o "Verifacto", uma extensão para o browser, que consiste numa ferramenta de "fact-checking" possível de utilizar enquanto se está a ler notícias - e que permite também submeter pedidos de confirmação de factos.

Na competição participou também uma equipa da revista Visão (constituída por Márcia Galrão, jornalista da Visão, Alexandre Monge, designer na Impresa, e João Oliveira, programador na Impresa). A equipa criou um protótipo a que deu o nome de "The Connector" e que tem como objetivo detetar possíveis conflitos de interesse entre membros do Governo ou deputados e as grandes empresas e bancos.

A competição contou ainda com a participação de equipas do Correio do Povo (Brasil), Téla Nón (São Tomé e Príncipe) e ClusterMedia Labs.

O júri desta edição do Editors Lab foi constituído por Maria João Vasconcelos da Associação Portuguesa de Impresa (API), Adrián Blanco, jornalista de dados no "El Confidencial", Carlos Rosa, vice-reitor do IADE, José Moreno, professor de multimedia, e Évangéline de Bourgoing, diretora de programas da Global Editors Network (GEN).